Cuidados em bares e restaurantes

Cuidados em bares e restaurantes

Atendendo às normas emergenciais para evitar a propagação do coronavírus, estabelecimentos do DF adotam diversas medidas de precaução

» DARCIANNE DIOGO
postado em 18/03/2020 00:00
 (foto: Tailana Galvao/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Tailana Galvao/Esp. CB/D.A Press)



A pandemia de coronavírus começa a trazer consequências ao setor gastronômico do Distrito Federal. Após publicação de normas do Executivo local para contenção do avanço da doença, bares e restaurantes da capital adotam medidas especiais de prevenção. Mesmo assim, empresários registram queda acentuada no movimento e acreditam que, para os próximos dias, a tendência é piorar.

Gisele Munhoz, 39 anos, é proprietária do Restaurante Lake;s, na 402 Sul. Ela conta que, desde domingo, tem seguido as orientações necessárias de prevenção. ;Além do distanciamento das mesas, aumentamos a quantidade de álcool em gel na dispensa, tanto para clientes quanto para funcionários. Colocamos um suporte na saída dos banheiros feminino e masculino. Então, a pessoa sai e se higieniza. Tem clientes que já pedem para desligar o ar-condicionado e deixar a janela aberta;, afirmou.

Segundo ela, os funcionários também estão se precavendo. Cada um ganhou recipiente com spray de álcool. ;Recomendamos que os funcionários mantenham distância de um metro entre clientes. Também estou dando mais uma folga por semana, para que eles evitem o trânsito de ir e vir. Temos empregados que moram em Luziânia e em outras satélites, então, agora, eles vão folgar duas vezes por semana;, disse.

A empresária relatou, ainda, uma queda na movimentação do restaurante. Enquanto a reportagem esteve no local, no início da tarde de ontem, havia apenas dois clientes. ;O fluxo caiu em 90%. Uma hora dessa, o normal era ter em torno de 100 pessoas. Estou com medo, mas acho que essa é uma questão necessária. Devemos respeitar.;

Rosivaldo Montinho, 50, é cumin (auxiliar de garçom) no estabelecimento, onde trabalha há 28 anos. Ele conta que nunca viu uma situação parecida. ;É chocante ver o ambiente vazio. Os garçons dependem do faturamento e sobrevivem disso, mas devemos nos prevenir para conseguir conter essa pandemia. Até nós, garçons, estamos nos prevenindo. Passo álcool na mão toda hora e ainda oriento os clientes;, argumentou.

Receio

O gerente do restaurante Casa Baco, no CasaPark, Wagner Luís, 42, tem investido no serviço delivery para não perder clientes, e relata tomar todos os cuidados no local. ;O delivery tem sido uma opção para não perdermos tantas vendas. Mas, aqui, estamos em alerta. Após o garçom atender o cliente, é regra passar álcool em gel nas mãos. Toda hora, tem um funcionário limpando as mesas e os balcões. Também optamos por deixar as janelas abertas e desligar os ar-condicionados;, afirmou.

Outra preocupação de Wagner é em relação ao quadro de funcionários. ;Temos um total de 40 empregados só nessa unidade (CasaPark), mas a preocupação é em mantê-los devido ao baixo movimento. Temos medo de ter que mandar alguém embora;, destacou.

O proprietário do Bar Beirute da 107 Norte, Francisco Emílio, 42, diz que está seguindo o que foi determinado no decreto. ;Colocamos as mesas com dois metros de distância e temos buscado dar uma satisfação maior aos clientes. Recomendamos às pessoas que elas não fiquem em grupos muito juntos. Muitos clientes têm preferido fazer o pedido pelo telefone e buscar só quando estiver pronto. O bom é que todos os nossos restaurantes são ao ar livre;, ressaltou.



Para ele, atitudes como essas são necessárias. ;É uma situação séria e estamos prezando pela segurança de todos. É o momento de cada um fazer sua parte;, frisou.

O diretor-executivo da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Fábio Estuqui, explicou que a entidade tem orientado os empresários em relação às medidas preventivas. ;Recomendamos que a ventilação nos salões seja apropriada. Caso tenha ar-condicionado, os filtros devem estar limpos. A instrução aos proprietários é que eles se preparem para qualquer outro decreto que seja mais radical, como o fechamento dos estabelecimentos;, afirmou.

De acordo com ele, a partir de hoje, os restaurantes que estiverem seguindo as orientações, terão o selo ;restaurante responsável; colado no estabelecimento. ;A ideia é de que, quando o cliente chegar, saiba que o local passou devidamente pelas instruções;, acrescentou Fábio Estuqui.


Distância mínima
O Decreto n; 40.520, de 14 de março de 2020, assinado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) determina que os bares e restaurantes deverão observar, na organização das mesas, a distância mínima de 2m entre elas. Nos eventos abertos, recomenda-se a distância mínima de um metro entre as pessoas.

Fake news
Uma notícia que circula nas redes sociais diz que, a partir de hoje, bares e restaurantes estarão proibidos de funcionarem sob pena de multa institucional. Contudo, conforme o site de checagens do Correio, o Holofote, apurou, a informação é falsa, segundo a assessoria do governo. De acordo com o GDF, não há previsão de que a medida seja tomada.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação