Nova York: Trump recua de quarentena

Nova York: Trump recua de quarentena

Presidente dos EUA chega a cogitar confinamento obrigatório no estado, o mais afetado pela Covid-19, mas, após ouvir força-tarefa da Casa Branca, desiste da determinação

postado em 29/03/2020 00:00
Horas depois de afirmar que cogitava colocar o estado de Nova York ; o mais atingido nos Estados Unidos pela pandemia de coronavírus ; em quarentena compulsória, para evitar que seus moradores espalhem o vírus para outras partes do país, o presidente Donaldo Trump recuou da ideia, ;por recomendação da força-tarefa CoronaVirus da Casa Branca e após consulta aos governadores de Nova York, Nova Jersey e Connecticut;. ;A quarentena não será necessária;, emendou, pelo Twitter.

Mais cedo, o presidente havia afirmado que ;existe a possibilidade de que façamos uma quarentena ; de curto prazo, duas semanas ; em Nova York, provavelmente em Nova Jersey, em certas partes de Connecticut;, frisou, ao deixar a Casa Branca.
A medida teria o objetivo restringir os deslocamentos de moradores de uma das regiões mais populosas do país para outras partes dos Estados Unidos, especialmente o estado do sul da Flórida, que é popular entre os nova-iorquinos no inverno. ;Porque estão tendo problemas na Flórida. Muitos nova-iorquinos estão descendo (para a Flórida). Não queremos isso;, argumentou, antes do recuou.

A cidade de Nova York foi, até agora, a área mais atingida pela Covid-19 nos Estados Unidos. O governador, Andrew Cuomo, que conversou com Trump ontem, disse que o assunto não foi tratado pelos dois. ;Eu nem sei o que isso significa;, rebate, em uma entrevista coletiva. ;Não sei como isso (isolamento compulsório) pode ser legalmente aplicado.;

Primária
Também ontem, Cuomo anunciou o adiamento das eleições primárias democratas no estado, de 28 de abril para 23 de junho, a fim de impedir a propagação do novo coronavírus. ;Não acho sensato pedir que muitas pessoas votem no mesmo lugar;, disse o governador de Nova York. Em dois dos outros focos da Covid-19 já foram realizadas primárias: a Califórnia, em 3 de março, e no estado de Washington, em 10 de março. Nova Jersey votará em 2 de junho. ;Não acho sensato pedir que muitas pessoas votem no mesmo lugar;, disse o governador de Nova York.

Dez outros estados, assim como Porto Rico, já haviam adiado sua data das primarias. Outros mudaram o tipo de votação para a alternativa postal.

Joe Biden lidera a disputa pela indicação democrata para enfrentar Trump em novembro, com 1.217 delegados, contra 914 da rival Bernie Sanders. Para garantir a indicação, estima-se que um candidato chegue a 1.991 delegados.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação