Crônica da Revista

Crônica da Revista

Maria Paula mariapaula.df@dabr.com.br
postado em 24/05/2020 00:00


Anjos da pandemia


Agora que uma vacina está sendo testada e tudo indica que em breve estaremos livres da ameaça da covid-19, é hora de reconhecer as bênçãos que vieram junto com essa experiência e expressar agradecimento e apreciação aos protagonistas das mais belas cenas, tanto públicas quanto privadas!

O mundo todo está tocado pelo trabalho dos profissionais da saúde que, com coragem e dedicação heroicas, estão dando conta da situação devastadora! Sinto que é hora, também, de refletir sobre as cenas incríveis que vêm acontecendo na intimidade de quatro paredes pelo mundo afora.

As mais significativas, a meu ver, dizem respeito às relações humanas, que durante todo o período de isolamento puderam ser reinventadas. Vejamos o que está acontecendo de bom na dinâmica familiar, que na maioria das vezes era estabelecida por pais que passavam longas horas do dia no trabalho e podiam conviver com os filhos apenas em determinadas horas, geralmente pela manhã e à noite!

Ou mesmo a dinâmica de casais que, apesar de estarem há anos ; talvez até décadas ; casados, nunca tinham tido a oportunidade de conviver tão intensamente por um longo período de tempo. Em alguns casos, foi uma alegria poder estar perto dos familiares, e em tantos outros, foi um desafio, pois o convívio íntimo, que já não é moleza em dias normais, em circunstâncias complicadas como esta, de confinamento coletivo, mostraram-se cheias de armadilhas destruidoras da harmonia!

Diante do medo do contágio e do estresse gerados pelas incertezas em todos os aspectos da vida, quem consegue encarar o momento com serenidade merece aplausos! E os que têm de cuidar com carinho e atenção extrema de pessoas do grupo de risco, então, merecem ser aplaudidos de pé!

A crônica de hoje é uma homenagem a esses anjos! Em minha família, por exemplo, o anjo tem nome e sobrenome: Cinira Fidalgo, minha irmã mais velha, que assumiu o controle da situação e está há meses garantindo que nossos pais, que já passaram dos 80 anos de vida, possam ficar protegidos dentro de casa.

É ela quem sai para fazer os pagamentos de banco, as compras de supermercado e farmácia, totalmente paramentada de luvas e máscara. E, ao voltar para casa, passa por um ritual minucioso para ter a segurança de que está desinfectada! Isso sem contar a saudade que ela está do namorado, que não vê desde o começo da quarentena!

Assim como ela, milhares de outros anjos estão em ação por todo canto!

Que tal o leitor amigo tirar alguns minutos do seu domingo para expressar ao seu anjo particular o reconhecimento pela sua ajuda? Telefone, mande mensagem, peça às crianças que façam desenhos, ou descubra a música preferida dele(a) e faça um vídeo cantando... Use a criatividade e faça a sua surpresa virtual! Enfim, agradeça da forma que achar mais carinhosa. Certamente, os anjos vão gostar de receber as homenagens!

E que os testes da vacina avancem rapidamente e possamos todos superar logo esta fase danada de difícil que estamos passando!



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação