Abuso em presídios

Abuso em presídios

postado em 19/06/2020 00:00

Sete sírios denunciaram, ontem, à Justiça da Alemanha, denúncias de violações e abusos sexuais em centros de detenção do regime dek Bashar al-Assad. Segundo informações da ONG alemã ECCHR, o grupo é formado por vítimas e testemunhas dos crimes.
A acusação, que coincide com o primeiro julgamento no mundo contra os abusos supostamente cometidos pelas autoridades de Damasco, realizado em abril na Alemanha, aponta, principalmente, para nove funcionários do governo sírio e dos serviços de inteligência da Força Aérea. Entre eles, está Jamil Hassan, ex-comandante desse setor na Aeronáutica, muito próximo ao presidente sírio.
A Justiça alemã suspeita que ele tenha cometido ;crimes contra a humanidade;. Os denunciantes ; quatro mulheres e três homens ; foram presos em diferentes centros dos serviços secretos da força aérea na capital síria e nas cidades de Aleppo e Hama.
Eles relataram que, entre abril de 2011 e agosto de 2013, foram vítimas ou testemunhas de tortura e violência sexual, como ;estupros, choques elétricos nas genitálias, nudez forçada e até aborto forçado;.
Há três anos, os processos contra sírios responsáveis por atos de tortura nas masmorras do regime se multiplicaram em vários países europeus. Na Alemanha, que acolheu cerca de 800 mil sírios, a Justiça tem sido ativa diante das denúncias.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação