Controle da Covid-19 e situação fiscal serão as chaves para 2021

Correio Braziliense
postado em 30/12/2020 16:43
 (crédito: Edvaldo Reis / Arquivo CNC)
(crédito: Edvaldo Reis / Arquivo CNC)

O ano de 2020 ficará marcado pela mais séria crise sanitária em pelo menos 100 anos. A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), as federações e os sindicatos que integram o Sistema Comércio têm acompanhado e orientado os empresários e também a população, por meio do Sesc e do Senac, desde o primeiro momento. Com o País vivendo a expectativa da aprovação das vacinas e de um plano de imunização, é o momento em que os olhares se voltam para o próximo ano.


“O cenário de 2021 vai depender, com certeza, do momento da crise sanitária que estamos vivendo. Se houver normalização, temos boas perspectivas”, avalia o presidente da CNC, José Roberto Tadros, observando que a economia já vem dando sinais de reação. “Mas vamos precisar ficar atentos à dívida pública interna e evitar, com todo empenho, o aumento da carga tributária”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE