Genro de Trump pede à Arábia Saudita que normalize relações com Israel

Segundo Jared Kushner, seria do interesse da Arábia Saudita normalizar suas relações com Israel, como fez os Emirados Árabes Unidos, para enfraquecer influência do Irã

Agência France-Presse
postado em 17/08/2020 16:39 / atualizado em 17/08/2020 16:41
 (foto: BRENDAN SMIALOWSKI/AFP)
(foto: BRENDAN SMIALOWSKI/AFP)

O genro do presidente dos Estados Unidos Donald Trump e também assessor da Casa Branca, Jared Kushner, afirmou nesta segunda-feira (17/8) que seria do interesse da Arábia Saudita normalizar suas relações com Israel, como fez os Emirados Árabes Unidos.

Isso enfraqueceria a influência do inimigo comum Irã na região e ajudaria os palestinos, acrescentou Kushner em conversa telefônica com jornalistas.

"Seria muito bom para os negócios sauditas, muito bom para a defesa saudita e francamente, acredito que ajudaria o povo palestino", acrescentou Kushner.

Até agora, a Arábia Saudita se manteve em silêncio sobre o anúncio inesperado de quinta-feira de que Emirados Árabes Unidos e Israel decidiram normalizar as relações.

Em troca, Israel aceitou suspender a anexação de territórios na Cisjordânia ocupada, embora o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu tenha dito depois que o plano não duraria um longo prazo.

O rei Salmán e seu filho, o príncipe Mohammed bin Salmán, reiteraram seu desejo de um estado palestino independente com oportunidades econômicas, disse Kushner.

Kushner é o arquiteto do plano de paz para o Oriente Médio de Trump, que foi totalmente rejeitado pelos palestinos.

O acordo entre Emirados Árabes Unidos e Israel é apenas o terceiro assinado pelo Estado hebreu com um país árabe, depois de Egito e Jordânia e levanta a possibilidade de acordos semelhantes com outros estados pró-ocidentais do Golfo.

Trump disse que os líderes dos dois países assinarão o acordo na Casa Branca nas próximas semanas.

Bahrein e Omã se parabenizaram pelo acordo, enquanto a Arábia Saudita, Kuwait e Catar ainda não se pronunciaram.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação