Hospitais estão saturados no Peru e pandemia não dá trégua na América Latina

O Peru registra, em termos relativos, a segunda maior taxa de mortalidade do mundo, com 80 mortes por 100 mil habitantes

Agência France-Presse
postado em 18/08/2020 12:54
 (foto: Diego Ramos / AFP)
(foto: Diego Ramos / AFP)

Na América Latina, a pandemia não dá trégua. Nos últimos sete dias, quase metade das mortes globais por coronavírus ocorreram na região e no Caribe, onde mais de 243 mil mortes já foram registradas desde o início da pandemia e 6,2 milhões de casos, segundo balanço da AFP.

Das 4.233 mortes registradas no mundo nesta segunda-feira, 684 ocorreram no Brasil, o segundo país mais afetado do mundo, com um total de 108.500 mortes e 3,35 milhões de infecções.

O coronavírus também está se propagando rapidamente no Peru, que registra, em termos relativos, a segunda maior taxa de mortalidade do mundo, com 80 mortes por 100 mil habitantes, atrás da Bélgica (86) e à frente da Espanha (61).

Os hospitais peruanos estão saturados, com mais de 14 mil pacientes com covid-19, e precisam de suprimentos essenciais, como oxigênio.

A Colômbia também vê a taxa de transmissão do coronavírus disparar e já se aproxima das 500 mil infecções, quando há um mês registrava pouco mais de 173 mil.

Andrés Manuel López Obrador, presidente do México, terceiro país do mundo mais atingido pela pandemia com 57.023 mortes e 525.733 casos, declarou que estava preparado para receber a vacina contra a covid-19 "Sputnik V", desenvolvida pela Rússia e vista com ceticismo pela comunidade científica internacional.

Nos Estados Unidos, com mais de 170 mil mortes por coronavírus, a pandemia forçou o Partido Democrata a realizar virtualmente sua convenção para nomear oficialmente Joe Biden como candidato.

Há meses, a pandemia de coronavírus atinge duramente setores inteiros da economia mundial, incluindo os setores aéreo, automobilístico e de distribuição.

Nesta terça-feira, a rede de lojas britânica Marks and Spencer anunciou o corte de 7 mil empregos nos próximos três meses, de uma força de trabalho total de 80 mil pessoas.

No esporte, as consequências da pandemia também são graves. O clube francês de futebol Olympique de Marseille confirmou que tem quatro jogadores infectados, o que provocou o adiamento da partida de abertura da Ligue 1 francesa, marcada para sexta-feira, contra o Saint Etienne.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação