ESTADOS UNIDOS

Pressionado, Trump tenta impedir o voto pelos correios nas eleições de novembro

Magnata republicano processa o governo de Nova Jersey por enviar cédulas eleitorais pelos correios e volta a defender o comparecimento às urnas. Ex-presidente Barack Obama afirma que o sucessor nunca levou o trabalho a sério

Rodrigo Craveiro
postado em 20/08/2020 06:00
 (foto: Joe Raedle/AFP)
(foto: Joe Raedle/AFP)

Enquanto se mantém sob fogo cerrado disparado pelos adversários — o antecessor Barack Obama chegou a afirmar que Donald Trump jamais levou o cargo a sério —, o presidente republicano intensifica guerra ao voto postal. O magnata decidiu processar o estado de Nova Jersey, depois que o governador Phil Murphy (democrata) anunciou o envio de cédulas a todos os eleitores registrados. “Tive uma reunião produtiva com o chefe de Operações e Logística do Serviço Postal dos Estados Unidos (USPS) sobre o modelo de voto pelos correios. Fui bem claro que precisamos que os correios tenham uma grande vitória nesta eleição, e ele prometeu cooperação”, afirmou Murphy, por meio do Twitter. Também pela rede social, Trump provocou os eleitores: “Se vocês podem protestar pessoalmente, vocês podem votar presencialmente!”. E criticou os próprios colegas de partido do Congresso: “Por que os republicanos estão permitindo que os democratas realizem audiências ridículas sobre os correios no sábado e na segunda-feira, bem antes e durante nossa convenção?”.


No penúltimo dia da Convenção Nacional Democrata, em Milwaukee (Wisconsin), o ex-presidente Barack Obama enviou um alerta aos Estados Unidos de que “a nossa democracia está em risco”. “Eu me sentei no Salão Oval da Casa Branca com os dois homens que concorrem à Presidência. Nunca esperei que meu sucessor abraçaria minha visão ou continuaria minhas políticas. Eu esperava, pelo bem deste país, que Donald Trump pudesse mostrar algum interesse em levar o trabalho a sério; que pudesse sentir o peso do cargo e descobrisse alguma reverência pela democracia, que foi colocada sob seus cuidados”, declarou Obama, em mensagem de vídeo gravada a partir do Museu da Revolução Americana, na Filadélfia.
De acordo com Obama, Trump não evoluiu no trabalho “porque não consegue”. O ex-líder democrata enumerou as consequências do fracasso da gestão republicana na Casa Branca: 170 mil norte-americanos mortos pela covid-19 e milhões de empregos perdidos. “Nossos piores impulsos vieram à tona; nossa reputação de orgulho em todo o mundo diminuiu drasticamente; nossas instituições democráticas estão ameaçadas como nunca”, disse.


Recém-escolhida como vice de Biden, a senadora Kamala Harris apresentou sua visão para uma nação mais inclusiva, em que todos sejam bem-vindos e tenham oportunidades iguais e proteção sob a lei. Derrotada em 2016 por Trump, a ex-secretária de Estado Hillary Clinton discursou, ao vivo, na noite de ontem, e instou os eleitores a não repetirem os erros de quatro anos atrás. “Esta não pode ser outra eleição do ‘poderia, seria, deveria’”, declarou.

Estratégia

Especialistas apostam que Trump antevê a iminência de um revés nas urnas e, por isso, tenta usar o voto a distância como argumento sobre possível fraude. Richard Lau, cientista político da Universidade Rutgers (Nova Jersey), acredita que o presidente está “terrificado” ante a possibilidade de derrota em 3 de novembro. “Não ficou claro, para mim, qual partido terá mais danos, caso o voto postal seja desencorajado. Acho que uma motivação maior é o fato de que as ações do presidente, de desestimular o voto a distância, permitirão a ele legitimar o resultado das eleições, mesmo em caso de derrota”, afirmou ao Correio.


O também cientista político Ross Baker, colega de Lau na mesma universidade, explica que, sempre que encontra oposição, o presidente toma as mesmas iniciativas de quando era apenas o dono das Organizações Trump: ele convoca os advogados e instaura um processo. “A ideia é intimidar o adversário, forçando-o a gastar dinheiro com despesas judiciais. Tais processos geralmente não levam a lugar nenhum”, disse à reportagem, ao comentar sobre a ação contra o estado de Nova Jersey. Segundo Baker, Trump incutiu na mente que o voto postal favorece os democratas. “Não existe nenhuma prova de que isso seja verdade. No entanto, ele acredita nisso.”

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação