Tempestade tropical Laura deixa sua primeira vítima no Haiti

Ainda localizada na vizinha República Dominicana, Laura provoca chuvas e vento em várias cidades do país

Agência France-Presse
postado em 23/08/2020 11:13 / atualizado em 23/08/2020 14:40
 (foto: FOLHETO / RAMMB / NOAA / NESDIS / AFP)
(foto: FOLHETO / RAMMB / NOAA / NESDIS / AFP)

Porto Príncipe, Haiti - Uma menina de 10 anos morreu na manhã deste domingo (23) no sudeste do Haiti devido à tempestade tropical Laura, que se aproxima do país ameaçando com inundações e deslizamentos de terra.

A menina morreu após a queda de uma árvore sobre sua casa em Anse-à-Pitres, segundo um relatório preliminar da Proteção Civil transmitido à AFP.

Várias casas já estavam inundadas nesta aldeira que faz fronteira com o Haiti, onde ocorrem várias evacuações, acrescentou a instituição. Ainda localizada na vizinha República Dominicana, Laura provoca chuvas e vento em várias cidades do país.

Ainda localizada na vizinha República Dominicana, Laura provocou na madrugada deste domingo chuvas moderadas a constantes em várias cidades do país, acompanhada também por ventos.

Uma mulher e um menino morreram em casa e um jovem morreu em outra área de Santo Domingo quando uma árvore caiu sobre sua casa, informou o diretor do Centro de Operações de Emergências (COE), Juan Manuel Méndez.

Alerta laranja

Desde sexta-feira, o Haiti está em alerta laranja devido ao risco da tempestade tropical Laura, cujos ventos se intensificaram durante sua passagem pelo sul de Porto Rico na manhã de sábado.

As operações de cabotagem, ou seja, as viagens curtas de porto a porto ao longo das costa, foram proibidas pelas autoridades haitianas até novo aviso.

Embora a virulência da pandemia de covid-19 tenha sido relativamente baixa no Haiti, com 8.050 casos positivos e 196 mortes atribuídas oficialmente ao vírus, as autoridades pretendem prevenir uma possível propagação da epidemia pelos desastres naturais.

"Coloquem as máscaras e respeitem as distâncias, especialmente nos abrigos temporários. Com a covid, temos uma capacidade de recepção consideravelmente menor", disse o ministro do Interior, Audain Fils Bernadel, durante uma coletiva de imprensa.

Laura e Marco

Todos os anos, de junho a novembro, o Haiti fica sob a ameaça de ciclones, mas as fortes chuvas são suficientes para ameaçar a vida dos cidadãos mais desfavorecidos, forçados a viver em áreas de risco, perto de canais ou barrancos cheios de lixo.

Segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC) com sede em Miami, Estados Unidos, o olho de Laura se deslocará através do Haiti e da República Dominicana pela manhã, passará perto ou sobre Cuba na noite de domingo e segunda-feira, para depois seguir rumo ao sudeste do Golfo do México na noite de segunda e na terça-feira.

Enquanto isso, o NHC espera que a tempestade Marco se fortaleça e se transforme em furacão neste domingo, para avançar rumo ao sudeste do estado de Louisiana na segunda-feira. No entanto, Marco deve se enfraquecer rapidamente quando tocar o solo, acrescentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação