Pandemia

Covid-19: Laboratórios francês e britânico começam a testar vacina em humanos

Os laboratórios vão recrutar 440 pessoas para participar deste ensaio que avaliará a tolerância e a resposta imunológica a esta possível vacina

Agência France-Presse
postado em 03/09/2020 13:27
 (foto: Governo de São Paulo/Divulgação)
(foto: Governo de São Paulo/Divulgação)

O laboratório francês Sanofi e o britânico GSK iniciaram os testes clínicos em humanos de uma potencial vacina contra a covid-19, após ensaios preliminares "promissores", anunciou a empresa francesa em um comunicado.

O lançamento desses testes clínicos de fase 1 e 2 "é uma etapa importante e mais um passo para o desenvolvimento de uma vacina para nos ajudar a derrotar a covid-19", disse Thomas Triomphe, vice-presidente executivo da Sanofi Pasteur, citado em comunicado.

A vacina em questão é baseada na tecnologia que a Sanofi já usa para produzir uma de suas vacinas contra a gripe e um elemento adicional desenvolvido pela GlaxoSmithKline (GSK).

"Os estudos pré-clínicos mostraram um nível promissor de segurança e imunogenicidade", de acordo com o comunicado.

Os laboratórios vão recrutar 440 pessoas para participar deste ensaio que avaliará a tolerância e a resposta imunológica a esta possível vacina.

"Estamos aguardando ansiosamente os resultados deste estudo, que, se positivo, vão nos permitir passar para a fase 3 (a última antes da possível comercialização) antes do final do ano", acrescentou Roger Connor, presidente da GSK no comunicado.

As duas empresas esperam apresentar "um pedido de homologação no primeiro semestre de 2021 e aumentaram suas capacidades de produção para poder fabricar até um bilhão de doses em 2021".

"Sanofi e GSK estão empenhadas em disponibilizar esta vacina para todos", garantiram no comunicado.

Vários países já reservaram doses dessa possível vacina. A Comissão Europeia reservou 300 milhões de doses, os Estados Unidos 100 e o Reino Unido 60.

Os dois laboratórios também planejam colocar "parte significativa de sua produção de 2021/2022 à disposição da Covax", dispositivo idealizado, entre outros, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), com a finalidade de comprar e distribuir de forma justa 2 bilhões de doses de uma vacina em 2021.

No mundo existem outras vacinas potenciais contra a covid-19 que já estão em estágios mais avançados, como a do laboratório americano Pfizer e do Moderna, que está na fase 3.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação