VIOLÊNCIA

Sete civis morrem em atentado suicida jihadista no norte de Camarões

Mortos estavam em vilarejo de pessoas deslocadas pela violência; o ataque, que aconteceu na última terça-feira, só foi divulgado nesta quinta (3)

Agência France-Presse
postado em 03/09/2020 17:24
Protesto em Bamenda em 2018 -  (foto: AFP)
Protesto em Bamenda em 2018 - (foto: AFP)

Sete civis foram mortos em um vilarejo de pessoas deslocadas pela violência no norte de Camarões em um ataque atribuído a um jihadista, disseram as autoridades na quinta-feira (3/9).

O ataque ocorreu na terça-feira passada, explicou um oficial de segurança à AFP sob anonimato.

"Quando os combatentes do Boko Haram atacaram a aldeia, os moradores fugiram, mas um jovem carregando explosivos seguiu as pessoas e explodiu sua carga na multidão", disse a fonte.

As autoridades falam indistintamente sobre o Boko Haram e sua divisão, o braço do Estado Islâmico na África Ocidental (Iswap), quando ocorre um ataque jihadista.

O Alto Comissariado para Refugiados (ACNUR), por sua vez, condenou "este ataque que matou sete civis e feriu outros 14 na aldeia de Kouyapé".

O Boko Haram e o Iswap multiplicaram os ataques contra militares e civis no extremo norte de Camarões e nas regiões vizinhas da Nigéria, Chade e Níger, ao redor do Lago Chade, nos últimos meses.

O "ataque suicida" ocorreu na terça-feira, confirmou o ACNUR, "perto da fronteira com a Nigéria, onde cerca de 18.000 deslocados internos chegaram em busca de segurança nos últimos sete anos".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação