Desastre

Autoridades encerram buscas por sobreviventes nos escombros de Beirute

O governador de Beirute, Marwan Abboud, havia afirmado anteriormente que poderia haver um ou dois corpos e até mesmo um sobrevivente

Agência France-Presse
postado em 06/09/2020 17:58
 (foto: JOSEPH EID / AFP)
(foto: JOSEPH EID / AFP)

Os serviços de resgate encerraram as operações de busca nos escombros de um prédio desabado em Beirute, no Líbano, sem encontrar vítimas, informou uma autoridade neste domingo (6), depois que surgiram informações essa semana sobre um possível sobrevivente.

Uma equipe de socorristas chilenos do grupo humanitário Topos Chile, que auxilia nos esforços de resgate na capital libanesa, anunciou na quarta-feira ter detectado batimentos cardíacos fracos sob os escombros de um edifício, usando um cão farejador e scanners térmicos.

A notícia aumentou a esperança de encontrar um sobrevivente da trágica explosão no porto de Beirute, que destruiu bairros inteiros em 4 de agosto e deixou pelo menos 191 mortos e mais de 6.500 feridos.

Com o passar dos dias, porém, a esperança foi se dissipando. "Não há mais nada", respondeu à AFP o diretor de operações de Defesa Civil libanesa George Abou Moussa no domingo quando questionado se as buscas continuariam no local. "Não havia nem vivos nem mortos" sob os escombros, disse ele.

No dia anterior, Francesco Lermanda, que comanda a equipe chilena, já havia indicado que não havia encontrado "nenhum sinal de vida".

O governador de Beirute, Marwan Abboud, havia afirmado anteriormente que poderia haver um ou dois corpos e até mesmo um sobrevivente.

Essa informação, um mês após a explosão colossal causada por centenas de toneladas de nitrato de amônio armazenadas no porto sem medidas de segurança, causou polêmica entre grande parte da opinião pública.

"Eu não sabia que precisava tanto de um milagre. Deus, por favor, dê a Beirute o milagre que ela merece", disse o diretor de cinema Selim Mourad no Facebook na sexta-feira.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação