RACISMO NOS EUA

Família de mulher morta receberá R$ 63 milhões

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 15/09/2020 22:34



A família de Breonna Taylor, uma afro-americana assassinada dentro da própria casa durante tiroteio policial, receberá US$ 12 milhões (cerca de R$ 63 milhões) da cidade de Louisville (Kentucky), fruto de um processo civil. “Hoje, tivemos alguma justiça para Breonna Taylor! Junto a um acordo civil de US$ 12 milhões, nós garantimos uma reforma policial abrangente em Louisville. Isso trará progresso e reforma, a fim de proteger outras vidas de pessoas negras”, afirmou Ben Crump, advogado da família. “Nós ainda exigimos que a Procuradoria Geral do estado de Kentucky oficialize as acusações, imediatamente, contra os policais envolvidos na morte de Breonna Taylor, para que ela receba a justiça total que merece”, acrescentou.
“Por mais significativo que seja, este é apenas o começo da obtenção da justiça total para Breonna. Não devemos perder o foco. É hora de nos movermos adiante com as acusações criminais, pois ela merece isso e muito mais”, declarou Tamika Palmer, mãe de Breonna, citada pelo Courier Journal, o diário de Louisville. “Seu belo espírito e sua personalidade estão trabalhando por meio de todos nós; então, por favor, continuem a repetir o nome dela: Breonna Taylor.” Por sua vez, o prefeito de Louisville, Greg Fischer, admitiu que a dor pela morte de Breonna é “visceral” e a perda, “devastadora”. “Eu não posso imaginar a dor da senhora Palmer. Eu sinto profundamente pela morte de Breonna.”
Em 13 de março, três policiais vestidos de civis entraram na casa da jovem de 26 anos com um mandado de busca e apreensão a procura de dois suspeitos de tráfico de drogas. Era noite. O namorado de Taylor, que estava na cama com ela, pegou uma arma e atirou nos policiais. Ele declarou, mais tarde, que pensou tratar-se de assaltantes. Os agentes, que não ativaram as câmeras que carregavam durante a ação, mataram Taylor com oito tiros. Um dos policiais ficou ferido. Os três agentes preencheram um relatório sobre o ocorrido com uma série de erros. Um deles foi demitido e os outros dois suspensos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação