Eleições

Biden acusa Trump de falhar com venezuelanos após bloqueio de proteção temporária

A Venezuela está mergulhada há anos em uma crise política, que foi agravada desde que Nicolás Maduro assumiu o segundo mandato em 2019 após eleições colocadas em dúvida

Agência France-Presse
postado em 17/09/2020 19:08
 (crédito: DREW ANGERER / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMAGES VIA AFP)
(crédito: DREW ANGERER / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMAGES VIA AFP)

Washington, Estados Unidos - O candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, acusou o presidente republicano Donald Trump de falhar com os venezuelanos após o bloqueio no Senado de uma iniciativa para conceder proteção temporária nos Estados Unidos a quem teve que deixar o país sul-americano.

A Venezuela está mergulhada há anos em uma crise política, que foi agravada desde que Nicolás Maduro assumiu o segundo mandato em 2019 após eleições colocadas em dúvida. O país vive um desastre econômico que piorou com a chegada do presidente ao poder em 2013, situação que causou a migração de mais de cinco milhões de pessoas, segundo a ONU.

"Os republicanos continuam a mostrar que todas as suas palavras duras sobre Maduro não passam de palavras vazias. Repetidas vezes, quando se trata de tomar medidas reais, o presidente Trump e seus aliados republicanos falharam com o povo venezuelano", disse Biden em um comunicado.

O candidato se pronunciou depois que o Senado, controlado pelos republicanos, impediu nesta quarta-feira (16) a aplicação rápida da Lei TPS da Venezuela, um projeto aprovado no ano passado pela Câmara dos Representantes, de maioria democrata.

"Esta é a quarta vez que os republicanos do Senado bloqueiam a legislação que concede o Status de Proteção Temporária (TPS) para cerca de 200 mil venezuelanos elegíveis que atualmente residem nos Estados Unidos e correm o risco de deportação", afirmou o gabinete do senador democrata Bob Menendez, autor do projeto de lei.

Menéndez lembrou que, também na quarta-feira, uma missão internacional independente das Nações Unidas publicou um relatório no qual concluiu que as execuções extrajudiciais e atos de tortura de Maduro constituem crimes contra a humanidade.

O governo Trump, conhecido por sua dura política de imigração, quer acabar com o TPS, criado na década de 1990 para permitir a residência legal de estrangeiros que, devido a desastres naturais ou instabilidade política, não possam retornar com segurança ao seu país de origem.

Biden disse que, apesar de ser capaz de aprovar o TPS unilateralmente, o governo Trump se recusou a apoiar a medida e deportou os venezuelanos "sem piedade".

"Os Estados Unidos devem proteger aqueles que já estão nos Estados Unidos de serem devolvidos ao regime opressor de Maduro", disse Biden. Ele prometeu que "como presidente" lhes concederá "imediatamente" esse benefício.

"Ao contrário do presidente Trump, estou comprometido com a restauração da democracia na Venezuela e em ajudar o povo venezuelano a reconstruir seu país", declarou. Especialistas apontaram que, com a promessa do TPS, Biden tem como alvo o eleitorado latino na Flórida, um estado chave para a vitória nas eleições de 3 de novembro.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação