Investigação

México investiga se mexicanas foram esterilizadas sem consentimento nos EUA

O oficial indicou que um "alerta consular" foi declarado nos Estados Unidos

Agência France-Presse
postado em 22/09/2020 16:51
 (crédito: Divulgação Rede D’Or)
(crédito: Divulgação Rede D’Or)

O governo mexicano investiga se seis mulheres mexicanas foram esterilizadas sem seu consentimento em um centro de detenção de migrantes na Geórgia, Estados Unidos, informou o chanceler Marcelo Ebrard nesta terça-feira.

"Já temos contato com seis (mexicanas) que poderiam ter sido submetidos a este tipo de procedimento. É algo inaceitável que rejeitamos antecipadamente", disse Ebrard durante a conferência diária do presidente Andrés Manuel López Obrador.

O oficial indicou que um "alerta consular" foi declarado nos Estados Unidos, depois que na semana passada uma organização de defesa de migrantes denunciou a suposta realização de esterilizações forçadas em Irwin, Geórgia.

O pessoal consular mexicano, acrescentou, está prestes a concluir as entrevistas com essas seis mulheres para ter mais elementos que confirmem se foram realmente submetidas ao procedimento.

Na semana passada, a organização Project South, com sede em Atlanta, Geórgia, denunciou que pelo menos 17 mulheres foram submetidas a procedimentos de esterilização, que incluiriam a retirada de órgãos reprodutivos, sem seu consentimento ou sem as informações necessárias.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação