Operação Zócalo

Mais de 1.300 contas bancárias ligadas ao crime são bloqueadas no México

O montante operado resulta da soma de 2,68 bilhões de pesos em depósitos e 2,11 bilhões de pesos em saques

Agência France-Pressem
postado em 13/10/2020 18:35
 (crédito: Divulgação/Caixa)
(crédito: Divulgação/Caixa)

Autoridades mexicanas bloquearam 1.352 contas bancárias pertencentes a 14 organizações criminosas que operam na capital do país, com movimentos financeiros de cerca de 225 milhões de dólares, informaram autoridades locais e o governo nacional nesta terça-feira (13).

A chamada "Operação Zócalo" é coordenada pela Secretaria de Segurança da Cidade do México e pela Unidade de Inteligência Financeira do Ministério da Fazenda federal, informou um comunicado.

O montante operado resulta da soma de 2,68 bilhões de pesos em depósitos e 2,11 bilhões de pesos em saques, embora as autoridades não tenham especificado em que período essas transações ocorreram.

Também não foram detalhados os nomes das 14 máfias afetadas, mas segundo vários meios de comunicação locais, entre eles está o poderoso Cartel Jalisco Nueva Generación (CJNG), cujo líder, Nemesio Oseguera Cervantes, conhecido como "El Mencho", é procurado pelos Estados Unidos, que o oferece uma recompensa de 10 milhões de dólares.

"A inteligência financeira facilita a identificação das fontes de recursos que as organizações usam para financiar suas atividades", afirmou o secretário de Segurança Omar García Harfuch em comunicado.

O oficial sobreviveu em junho passado a um ataque espetacular, perpetrado por dezenas de pistoleiros, em um elegante bairro da zona oeste da capital mexicana. García Harfuch culpou o CJNG pelo ataque.

Outro dos grupos atingidos em suas finanças seria o Unión Tepito, um dos mais fortes da capital mexicana, acrescentou a mídia local.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação