Notas

Correio Braziliense
postado em 16/10/2020 00:18

Confirmação agendada
O Comitê Judiciário do Senado agendou, para o próximo dia 22 (quinta-feira), às 13h (meio-dia em Brasília), a sessão que votará a indicação da juíza conservadora Amy Coney Barrett para a Suprema Corte dos Estados Unidos. Barrett foi escolhida pelo presidente Donald Trump para substituir a falecida magistrada progressista Ruth Bader Ginsburg. Os senadores democratas pretendiam que a votação de confirmação fosse adiada e ameaçaram não formar quorum para a sessão. Sob as normas do Comitê, uma maioria de 12 senadores precisa estar presente para validar a votação.


Um aliado “não tão aliado”
O senador Lindsey Graham (foto), republicano que mantém laços estreitos com Trump, declarou que o democrata Joe Biden tem “boas chances” de vencer a disputa pela Casa Branca em 3 de novembro. “Vocês têm boas chances de ganhar a Casa Branca”, afirmou Graham, presidente do Comitê Judiciário do Senado, a colegas democratas na abertura de uma audiência de confirmação da indicada à Suprema Corte Amy Coney Barrett. “Obrigada por reconhecer isso”, respondeu a senadora democrata Amy Klobuchar, ao que Lindsey Graham acrescentou: “Sim, acho que é verdade”.


Pacote de ajuda reavaliado
Trump se disse disposto a aumentar a oferta para desbloquear as negociações sobre um novo pacote de ajuda econômica em meio à pandemia do coronavírus. Na semana passada, a Casa Branca propôs um pacote de US$ 1,8 trilhão (cerca de R$ 10 trilhões) para empresas e famílias, acima do US$ 1,5 trilhão (ou R$ 8,4 trilhões) oferecido anteriormente. A oposição deseja US$ 2,2 trilhões (R$ 12,3 trilhões). Trump reiterou à emissora Fox Business que poderá aumentar a aposta, depois de suspender as negociações com os legisladores na semana passada e recuar na decisão. “Vou, vou com certeza. Vou colocar mais. Vou subir mais”, afirmou. O senador Mitch McConnell, líder da maioria no Senado, rejeitou, ontem, a possibilidade de fechar o pacote de US$ 1,8 trilhão.

 

25
milhões

Total de norte-americanos que se inscreveram para receber o seguro-desemprego desde o início da pandemia. Na semana passada, foram 898 mil — aumento de 53 mil em relação à semana anterior.


“Ele é um democrata”
Durante comício, ontem, em Greenville (Carolina do Norte), Trump não poupou o infectologista Anthony Fauci, coordenador da força-tarefa de combate ao coronavírus, formada pela Casa Branca. “Meu amigo, ele é um cara legal, Tony. Tony Fauci. Ele alegou que isso não é uma ameaça. ‘Isso não é um problema. Não se preocupem com isso’. E disse para não usaram máscara. ‘Não usem máscara em nenhuma circunstância’”, ironizou. “Ele é um democrata, todo mundo sabe disso”, acrescentou o presidente republicano.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação