Conflito

Mais de 170 prisioneiros de guerra são libertados no Iêmen

Os prisioneiros foram libertados após um acordo entre rebeldes e o governo do Iêmen mediado pela ONU

Agência France-Presse
postado em 16/10/2020 09:35 / atualizado em 16/10/2020 09:37
Prisioneiros iemenitas libertos chegam à capital controlada pelos rebeldes, Sanaa, em 16 de outubro de 2020. -  (crédito: Mohammed HUWAIS / AFP)
Prisioneiros iemenitas libertos chegam à capital controlada pelos rebeldes, Sanaa, em 16 de outubro de 2020. - (crédito: Mohammed HUWAIS / AFP)

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) informou que mais de 170 prisioneiros de guerra foram libertados nesta sexta-feira, no segundo dia de uma ampla troca entre rebeldes e o governo do Iêmen, parte de um acordo mediado pela ONU.

Um avião procedente de Aden (sul) chegou a Sanaa, a capital do país controlada pelos rebeldes huthis desde 2014, com 101 ex-prisioneiros a bordo.

Outro avião com 76 ex-detentos saiu de Sanaa e pousou em Aden, de acordo com o CICV.

O conflito no Iêmen opõe huthis, apoiados pelo Irã, ao presidente Abd Rabo Mansur Hadi, cujo governo se refugiou em Aden, capital "provisória", e que tem o apoio desde 2015 de uma coalizão militar liderada pela Arábia Saudita.

A troca de prisioneiros "é a maior desde o início do conflito", com um total de 1.081 prisioneiros que devem ser libertados segundo o acordo, destacou o CICV.

A operação é considerada um primeiro avanço no processo de paz para acabar com seis anos de conflito.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação