Reino Unido

Premiê britânico deve anunciar hoje se continua negociação comercial pós-Brexit

As negociações entre União Europeia e Reino Unido em busca de um acordo de livre-comércio pós-Brexit devem terminar até o final do ano

Agência France-Presse
postado em 16/10/2020 09:54
 (crédito: AFP)
(crédito: AFP)

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, deve anunciar nesta sexta-feira (16/10) se o Reino Unido continua, ou se suspende, as negociações comerciais pós-Brexit com a União Europeia (UE).

Ontem, as autoridades do bloco lhe pediram que faça concessões para evitar uma ruptura brutal no fim do ano.

"Estamos todos decepcionados e surpresos com o resultado do Conselho Europeu", realizado em Bruxelas, na quinta-feira, disse o ministro britânico das Relações Exteriores, Dominic Raab, ao canal Sky News.

"Eles nos disseram que o Reino Unido é que deve fazer todas as concessões nos próximos dias", acrescentou.

Na opinião do governo britânico, "um acordo pode ser alcançado, mas deve haver flexibilidade de ambos os lados", afirmou, posteriormente, em declarações à rádio BBC, especificando que "o primeiro-ministro vai falar mais" durante o dia.

Para desbloquear essas paralisadas negociações em busca de um acordo de livre-comércio para possa reger suas relações após o fim do período de transição pós-Brexit, em 31 de dezembro, os líderes da UE fizeram um apelo a Londres, ontem, para que ceda na matéria sobre os subsídios às suas empresas. Este é um dos principais pontos de conflito.

A insistência da França e de outros países pesqueiros em manter seu atual acesso aos ricos bancos de pesca britânicos é outro obstáculo importante.

Johnson havia definido a quinta-feira, dia de início da cúpula europeia, como prazo para alcançar um acordo. Encontra-se sob forte pressão, porém, diante das catastróficas consequências econômicas de uma ruptura brutal em dois meses e meio. As empresas britânicas não estão nem de perto preparadas para esse cenário.

De acordo com o primeiro-ministro irlandês, Micheál Martin, os líderes europeus deram ao seu negociador-chefe, Michel Barnier, "a flexibilidade necessária para continuar as negociações (...) para garantir um acordo comercial justo".

"Esperamos ver as coisas evoluindo a partir de agora", disse ele à imprensa nesta sexta, ao chegar para o segundo dia da cúpula em Bruxelas.

As negociações "não podem levar a uma situação em que um seja o vencedor, e o outro, o perdedor", disse o primeiro-ministro de Luxemburgo, Xavier Bettel.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação