TRAGÉDIA

Atentado com carro-bomba deixa 12 mortos e dezenas de feridos no Afeganistão

De acordo com o Ministério do Interior, o o ataque aconteceu em frente à sede da polícia de Ghor; mais de 100 pessoas ficaram feridas

Agência France-Presse
postado em 18/10/2020 14:15
 (crédito: ED WRAY/AFP)
(crédito: ED WRAY/AFP)

Pelo menos 12 civis morreram, e mais de 100 ficaram feridos em um ataque com carro-bomba a um quartel da polícia afegã na província de Ghor, no oeste do país - disseram as autoridades.

O atentado aconteceu em Feroz Koh, capital de Ghor, província que até agora não sofreu muita violência, em comparação com outras regiões do país.

De acordo com o Ministério do Interior, o carro-bomba explodiu em frente à sede da polícia de Ghor por volta das 11h locais.

"Os terroristas detonaram um carro cheio de explosivos (...) Como resultado, 12 civis foram mortos, e mais de 100 pessoas ficaram feridas", informou o Ministério do Interior.

Juma Gul Yakoobi, oficial de saúde de Ghor, disse à AFP que as vítimas também incluíam membros das forças de segurança.

Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque, mas os confrontos entre os talibãs e o governo aumentaram nas últimas semanas.

"A explosão foi muito potente", afirmou o porta-voz do governador de Ghor, Aref Abir.

"Há mortos e feridos, e eles estão sendo levados para os hospitais", acrescentou.

A deflagração também danificou prédios próximos, onde são tratadas questões relacionadas com mulheres e deficientes.

A Presidência afegã responsabilizou os talibãs pelo ataque. "A continuação da violência e os ataques pelos talibãs afetarão seriamente os esforços de paz do governo de Afeganistão e seus sócios internacionais", apontou.

As negociações de paz entre os talibãs e o governo afegão começaram no mês passado, no Catar, mas parecem estagnadas, e a violência continua no país.

"Todos os conteúdos do acordo dos Estados Unidos e do Emirado islâmico são claros, mas o outro lado os violou em muitas ocasiões e está realizando ações provocadoras e bombardeios em zonas que não são de combate", disseram os talibãs em um comunicado.

Os militares americanos rejeitaram a acusação talibã.

"Os bombardeios americanos em Helmand e Farah foram e continuarão sendo apenas em defesa das Forças de Segurança afegãs (ANDSF), pois são atacadas pelos talibãs", tuitou o porta-voz militar americano, coronel Sonny Leggett.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação