Assédio Sexual

Prefeito de Copenhague renuncia após ser acusado de abuso sexual

Frank Jensen se desculpou na sexta-feira depois que duas mulheres o acusaram de apalpá-las indevidamente em 2012 e 2017

Agência France-Presse
postado em 19/10/2020 12:07
O prefeito de Copenhague, Frank Jensen, dá uma entrevista coletiva nas Ilhas Brygge em Copenhague em 19 de outubro de 2020. -  (crédito: Philip Davali / Ritzau Scanpix / AFP)
O prefeito de Copenhague, Frank Jensen, dá uma entrevista coletiva nas Ilhas Brygge em Copenhague em 19 de outubro de 2020. - (crédito: Philip Davali / Ritzau Scanpix / AFP)

O prefeito de Copenhague apresentou sua renúncia nesta segunda-feira (19/10) depois que duas mulheres o acusaram de tê-las assediado sexualmente, uma renúncia que ocorre em um momento em que os relatos de agressão sexual se multiplicam na Dinamarca.

Frank Jensen, 59, se desculpou na sexta-feira depois que duas mulheres o acusaram de apalpá-las indevidamente em 2012 e 2017, mas garantiu que continuaria no cargo.

No entanto, o responsável pela seção juvenil do Partido Social-Democrata dinamarquês disse no domingo que foi informado de outras oito pessoas que teriam sido assediadas pelo prefeito social-democrata ou que testemunhariam isso.

Apesar de ter recebido apoio de seu partido no fim de semana, o prefeito finalmente decidiu renunciar nesta segunda-feira.

"Isso vai ofuscar todo o trabalho político que pretendo fazer, e é por isso que decidi renunciar ao meu cargo de prefeito", disse Jensen, à frente do governo municipal da capital dinamarquesa desde 2010.

O prefeito também renunciou ao cargo de vice-chefe do Partido Social Democrata, que lidera o governo dinamarquês desde 2015.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação