Coronavírus

China afirma ter testado vacinas da covid-19 em 60 mil pessoas

Segundo o funcionário do ministério da Ciência e Tecnologia, não há informações sobre nenhum efeito colateral grave

Agência France-Presse
postado em 20/10/2020 11:02 / atualizado em 20/10/2020 11:03
 (crédito: Tânia Rêgo/Agência Brasil)
(crédito: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Cerca de 60 mil pessoas de vários países receberam vacinas experimentais chinesas da covid-19 em quatro ensaios clínicos, disse um alto funcionário do governo em Pequim nesta terça-feira (20/10), afirmando que não houve efeitos adversos.

A China, onde o coronavírus apareceu pela primeira vez no final do ano passado, conseguiu praticamente erradicar a epidemia e está entre os países com a pesquisa mais avançada de uma possível vacina.

"Os ensaios clínicos da fase III das quatro vacinas [chinesas] estão progredindo", disse à imprensa Tian Baoguo, um funcionário do ministério da Ciência e Tecnologia, acrescentando que cerca de "60 mil voluntários receberam uma vacina experimental" contra a covid-19.

"Não há informações sobre nenhum efeito adverso grave", destacou.

A fase III é a última fase antes da autorização de uma vacina.

Várias fabricantes chinesas trabalham para produzir uma vacina contra a covid-19, incluindo a Sinovac e Sinopharm. As duas gigantes farmacêuticas estão realizando testes no exterior, principalmente no Brasil, Indonésia e Turquia.

Na China, onde há poucos casos novos de covid-19 a cada dia, "já não há mais condições para realizar um ensaio clínico de fase III", afirmou Tian.

Nenhuma vacina no mundo foi aprovada ainda para sua distribuição comercial generalizada. Mas as autoridades chinesas autorizaram o uso emergencial de algumas dessas vacinas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação