Grécia

Abre primeira mesquita em Atenas após anos de atraso

Atenas era a única capital europeia sem mesquita, disse Naim el Gadur, presidente da União Muçulmana da Grécia

Agência France-Presse
postado em 03/11/2020 14:01 / atualizado em 03/11/2020 15:40
Adoradores muçulmanos estão do lado de fora da primeira mesquita oficial na capital grega, Atenas, um dia depois de sua inauguração em 3 de novembro de 2020.  -  (crédito: LOUISA GOULIAMAKI / AFP)
Adoradores muçulmanos estão do lado de fora da primeira mesquita oficial na capital grega, Atenas, um dia depois de sua inauguração em 3 de novembro de 2020. - (crédito: LOUISA GOULIAMAKI / AFP)

A primeira mesquita de Atenas abriu as suas portas, informou a comunidade greco-muçulmana nesta terça-feira, felicitando-se por esta inauguração depois de anos de atraso e que teve de ser celebrada com uma presença reduzida de fiéis por causa do coronavírus.

Atenas, que até agora era a única capital europeia sem mesquita, "finalmente terá um local de culto para seus habitantes muçulmanos", disse Naim el Gadur, presidente da União Muçulmana da Grécia, à AFP.

O Ministério da Educação e Culto divulgou na noite de segunda-feira os protocolos que vão reger o funcionamento deste templo no qual um máximo de dez pessoas serão autorizadas a entrar durante a crise de saúde.

A cerimônia oficial de abertura acontecerá futuramente devido às restrições da covid-19, explicou Zaki Sidi Mohammed, o imã marroquino da mesquita.

Cerca de 650 mil muçulmanos vivem na Grécia, a maioria deles sunita e vivendo em Atenas, explicou Naim el Gadur.

A mesquita, que começou a ser construída em 2017, está localizada no distrito de Eléonas, um antigo bairro industrial da capital, e será o primeiro templo muçulmano em Atenas depois que a Grécia se tornou independente do Império Otomano em 1821.

Até agora, a comunidade muçulmana na capital grega orava em apartamentos, porões e hangares industriais.

"Há meses esperávamos sua inauguração e não sabíamos exatamente quando seria", disse à AFP Naim el Gadur, um dos principais promotores da construção de um templo que deveria ser inaugurado no final de 2019, mas foi adiado pela covid-19.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação