Travessias Perigosas

Balsa vira e deixa ao menos oito migrantes mortos nas Canárias

As Canárias têm sido cenário de grande chegada de imigrantes africanos. Este ano mais de 18 mil chegaram ao arquipélago vindos da África

Agência France-Presse
postado em 25/11/2020 09:07 / atualizado em 25/11/2020 09:09
Migrantes esperam para serem transferidos para suas acomodações depois de serem resgatados pela guarda costeira espanhola nas Ilhas Canárias de Gran Canaria em 23 de novembro de 2020.  -  (crédito: DESIREE MARTIN / AFP)
Migrantes esperam para serem transferidos para suas acomodações depois de serem resgatados pela guarda costeira espanhola nas Ilhas Canárias de Gran Canaria em 23 de novembro de 2020. - (crédito: DESIREE MARTIN / AFP)

O balanço de migrantes mortos no naufrágio de uma embarcação na terça-feira em frente à ilha espanhola de Lanzarote subiu para oito, informaram os serviços de emergência do arquipélago das Canárias.

Na véspera, as autoridades locais haviam anunciado um balanço de quatro vítimas fatais. Outros quatro corpos foram encontrados nesta quarta-feira.

Enrique Espinosa, gerente do consórcio de emergência e segurança de Lanzarote, anunciou 28 pessoas sobreviveram ao naufrágio. A embarcação partiu de Agadir, sul do Marroccos, há três dias.

As Canárias têm sido cenário de uma escalada de chegada de imigrantes africanos: mais de 18 mil, cerca da metade no último mês, alcançaram o arquipélago este ano vindos da África em travessias perigosas pelo oceano Atlântico a bordo de embarcações precárias.

Diante da situação, que revive a crise de 2006, quando 30 mil migrantes desembarcaram nestas ilhas, o governo espanhol habilitou acampamentos temporários para acolher até 7.000 pessoas e lançou uma ofensiva diplomática em vários países africanos para evitar a saída de migrantes até as ilhas atlânticas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE