Chegou o dia da vacina

Reino Unido começa, hoje, a imunizar idosos em asilos, cuidadores, profissionais de saúde e maiores de 80 anos. As primeiras 800 mil doses da fórmula da Pfizer/BioNTech foram enviadas para 50 hospitais

Correio Braziliense
postado em 07/12/2020 23:06

O “Dia V”. O ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, usou o termo e associou a letra a “vacina” e “vitória”. Depois de meses de espera, chegou a hora da primeira campanha de vacinação em massa contra a covid-19 em um país ocidental. A nação mais castigada pela pandemia na Europa, com 1,7 milhão de casos de infecção e 61.342 mortes, o Reino Unido começará a imunizar a população, hoje. Hancock assegurou, ontem, que “todas as partes do Reino Unido têm doses da vacina contra o coronavírus”. “Quero agradecer a toda equipe envolvida na distribuição do imunizante em todo o Reino Unido, a partir de amanhã (hoje). Grande progresso!”, escreveu no Twitter. Ele advertiu que o processo de vacinação será “mais uma corrida de distância do que de velocidade”.

Hancock visitou o King’s College Hospital e se reuniu com médicos e enfermeiros que receberão, hoje, a primeira das duas doses da vacina Pfizer/BioNTech, feita a partir do RNA mensageiro — a técnica faz com que o sistema imunológico reconheça uma proteína específica do coronavírus como antígeno e crie imunidade contra a doença. “Há uma luz no fim do túnel. Ainda não estamos lá, (…) mas amanhã (hoje) será dado um passo muito adiante”, comemorou o ministro.

O Reino Unido pediu 40 milhões de doses desta vacina, suficientes para 20 milhões de pessoas porque cada indivíduo deve receber duas doses com 21 dias de diferença. É menos de um terço de sua população (66,5 milhões), mas o país conta com a autorização em breve de outras vacinas, especialmente a britânica da AstraZenaca/Oxford.

No último fim de semana, 50 hospitais do país começaram a receber a primeira entrega de 800 mil doses enviadas da fábrica da Pfizer na cidade belga de Puurs. Em um primeiro momento, a campanha será implementada apenas em hospitais, devido à necessidade de manter a vacina a uma temperatura muito baixa, entre -70ºC e -80ºC. Depois, serão estabelecidos mil centros de vacinação, desde ambulatórios a poliesportivos.

“Será um enorme desafio logístico para o Reino Unido e para o Serviço Nacional de Saúde (NHS) imunizar a população mais vulnerável. Além de precisar ficar armazenada a temperaturas extremamente baixas, a vacina depende de sensores termais, de uma cadeia de suprimentos e de esforço coordenado de distribuição”, disse ao Correio Veer Pushpak Gupta, médico do NHS. “É o começo de um evento único, capaz de curar, dentro de um ano, uma doença que tem devastado o mundo. É um milagre da ciência e de nosso progresso.”

Ao chegarem a Londres, ontem, as doses foram retiradas das caixas cheias de gelo seco por um técnico farmacêutico e colocadas em um ultracongelador. “Saber que estão aqui e que estamos entre os primeiros do país a receber a vacina e, portanto, os primeiros do mundo, é simplesmente incrível”, afirmou Louise Coughlan, farmacêutica-chefe do Hospital Universitário de Croydon, no sul da capital.

A vacinação será feita de acordo com uma ordem de prioridades que começa com residentes e trabalhadores dos lares de idosos, profissionais de saúde e maiores de 80 anos em um segundo tempo. Depois, seguirá pelas faixas etárias regressivas até os maiores de 50 anos. As autoridades alertaram que o grosso da campanha será realizado em 2021. O Executivo espera vacinar todas as pessoas vulneráveis até abril.

Canadá

A Pfizer/BioNTech entregará ao Canadá, no fim deste mês, 249 mil doses de sua vacina contra a covid-19, anunciou o premiê canadense, Justin Trudeau. “Os primeiros envios poderão chegar na próxima semana”, depois da aprovação do Ministério da Saúde, esperada para esta semana, disse Trudeau. O Canadá receberá “milhões de doses” adicionais da vacina no início de 2021. As vacinações provavelmente começarão poucos dias após a chegada das doses. A Rússia começou a administrar a própria vacina, a Sputnik V, no fim de semana passado.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE