Ciberataques

Estados Unidos confirmam ataques cibernéticos russos a departamentos do governo

A embaixada da Rússia nos Estados Unidos respondeu e denunciou informações "infundadas" da imprensa, negando o papel do país nos supostos ataques

Agência France-Presse
postado em 14/12/2020 09:40
 (crédito: Danilson Carvalho/CB/D.A Press; )
(crédito: Danilson Carvalho/CB/D.A Press; )

O governo dos Estados Unidos confirmou no domingo (13/12) que suas redes de computadores foram afetadas por um ataque cibernético, enquanto o jornal The Washington Post informou que pelo menos dois departamentos, incluindo o Tesouro, foram alvos de hackers russos.

"Estamos trabalhando em estreita colaboração com nossas agências associadas em relação a atividades recentemente descobertas nas redes governamentais", disse à AFP um porta-voz da Agência de Segurança de Infraestrutura e Cibersegurança (CISA, na sigla em inglês).

"A CISA está fornecendo assistência técnica às entidades afetadas, enquanto trabalha para identificar e mitigar qualquer comprometimento potencial", completou.

A Rússia estaria por trás dos ataques, que teriam conseguido invadir os sistemas dos departamentos do Comércio e do Tesouro, destacou o Washington Post.

O Post informou que os ataques de domingo estavam relacionados a outro registrado na semana passada contra a empresa de segurança cibernética FireEye, que afirmou que suas próprias defesas foram violadas por hackers sofisticados que roubaram ferramentas utilizadas para testar os sistemas de informática dos clientes.

A FireEye indicou que suspeita de um ataque patrocinado por um Estado.

A imprensa americana noticiou que o FBI estava investigando um grupo que trabalhava para o serviço de Inteligência externa russo, SVR.

Também indicou que o mesmo grupo atacou agências governamentais dos Estados Unidos durante a administração de Barack Obama.

"O governo dos Estados Unidos está a par das informações, e estamos tomando todas as medidas necessárias para identificar e corrigir quaisquer possíveis problemas relacionados a esta situação", declarou o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, John Ullyot.

A embaixada da Rússia nos Estados Unidos respondeu e denunciou informações "infundadas" da imprensa, negando o papel do país nos supostos ataques.

"As atividades maliciosas no espaço da informação contradizem os princípios da política externa russa, os interesses nacionais e nossa visão das relações entre Estados", afirmou a embaixada em um comunicado publicado em sua página do Facebook.

"A Rússia não realiza operações de ataques na Internet", completou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE