PANDEMIA

Para tentar conter mortes por covid-19, Europa aposta em confinamento parcial

Medidas mais restritivas começam a valer no continente com maior número de casos e óbitos pela covid-19. Na França, onde 15 departamentos terão toque de recolher às 18h, polícia interrompe festa com 2,5 mil pessoas

Correio Braziliense
postado em 03/01/2021 07:00
 (crédito:  JEAN-FRANCOIS MONIER/AFP)
(crédito: JEAN-FRANCOIS MONIER/AFP)

No primeiro fim de semana de 2021, entraram em vigor novas medidas restritivas em países europeus e na Tailândia, na tentativa de frear a pandemia de Sars-CoV-2. Em pouco mais de um ano desde que os primeiros casos foram registrados, a covid-19 já causou quase 84 milhões de casos e mais de 1,82 milhão de mortes em todo o mundo.

Para evitar um novo surto, o toque de recolher foi reforçado ontem em 15 departamentos da França. Cerca de seis milhões de pessoas não poderão deixar suas casas depois das 18h, com poucas exceções. No resto do país, a restrição começa às 20h.

Apesar de o continente temer uma nova cepa do Sars-CoV-2, mais infectante que as versões anteriores, houve quem burlasse as recomendações de distanciamento social. Ontem, a polícia francesa interrompeu uma festa iniciada na véspera do réveillon, que reuniu cerca de 2,5 mil pessoas, perto de Rennes, no oeste do país. De acordo com a agência France Presse, os jovens entraram em confronto com a polícia, mas não houve feridos. A França acumulou quase 20 mil casos diários nos últimos dois dias.

Na Espanha, a polícia catalã também acabou com uma festa ilegal, na qual cerca de 300 pessoas se reuniram para dançar techno por cerca de 40 horas. A rave começou em 31 de dezembro na cidade de Llinars del Vallés, cerca de 30km de Barcelona. Pouco antes da intervenção, havia um grande grupo de pessoas dançando em frente a uma caveira gigante, sem máscaras.

Confinamento

No resto da Europa, região mais atingida pela pandemia com 577,4 mil mortes e 26,7 milhões de infecções, o retorno à normalidade também parece estar longe. A Dinamarca registrou 86 casos da nova variante do vírus, tornando-se o país que mais notificou até o momento essa cepa. A propagação da versão do Sars-CoV-2, detectada pela primeira vez no Reino Unido, “pode levar a uma curva epidêmica mais acentuada... o que significa que teremos de intensificar nossas medidas de prevenção”, alertou Tyra Grove Krause, chefe da agência dinamarquesa de controle de doenças infecciosas.

A Grécia, com 4.881 mortes por coronavírus, anunciou, na sexta-feira, que retomará até 10 de janeiro o confinamento estrito, adotado há dois meses e aliviado nas festas de fim de ano. Na Tailândia, que parecia ter passado o pior da pandemia, a capital Bangkok ficou com restrições mais duras no sábado, com o fechamento de bares, discotecas e locais onde o álcool é vendido, para impedir o aumento dos casos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE