Escândalo

Primeiro-ministro da Estônia renuncia por investigação de corrupção

Agora, o presidente Kersti Kaljulaid tem 14 dias para nomear um novo primeiro-ministro

Agência France-Presse
postado em 13/01/2021 09:08 / atualizado em 14/01/2021 19:24
Juri Ratas quer
Juri Ratas quer "esclarecer todas as circunstâncias" da investigação de corrupção - (crédito: AFP / POOL / Olivier HOSLET)

Tallinn, Estônia - O primeiro-ministro da Estônia, Juri Ratas, anunciou a renúncia nesta quarta-feira (13/1), depois que seu partido político, o Partido do Centro, tornou-se alvo de uma investigação por corrupção em conexão com uma imobiliária.

"Hoje tomei a decisão de renunciar ao cargo de primeiro-ministro", escreveu Ratas, presidente do partido, em uma mensagem postada no Facebook.

A renúncia de Ratas leva à queda do governo de coalizão de centro-direita, que inclui um partido de extrema direita. Novas eleições são, no entanto, improváveis.

A presidente, Kersti Kaljulaid, tem agora 14 dias para nomear um novo primeiro-ministro, que precisará ser aprovado pelo Parlamento.

Ratas disse esperar que sua renúncia ajude a "esclarecer todas as circunstâncias" da investigação de corrupção, mas insistiu que não tomou "nenhuma decisão maliciosa ou conscientemente ruim".

A investigação centra-se na imobiliária Porto Franco: ela recebeu um grande empréstimo do Estado e concluiu um lucrativo acordo com as autoridades da capital, Tallinn, cujo prefeito também é membro do partido de Ratas.

O pai do proprietário da empresa, o empresário Hillar Teder, doou grandes somas ao Partido do Centro. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE