IMUNIZAÇÃO

Biden promete US$ 4 bilhões para plano de vacinação anticovid Covax

Uma primeira parcela de dois bilhões de dólares será liberada "muito rapidamente", revelou um alto funcionário dos Estados Unidos que pediu anonimato

Agência France-Presse
postado em 18/02/2021 21:44
 (crédito: ERIC BARADAT / AFP)
(crédito: ERIC BARADAT / AFP)

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, vai prometer durante a reunião virtual do G7 uma contribuição de 4 bilhões de dólares para o Covax, programa global de vacinação contra a covid-19 promovido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), informou a Casa Branca nesta quinta-feira (17).

Uma primeira parcela de dois bilhões de dólares será liberada "muito rapidamente", revelou um alto funcionário dos Estados Unidos que pediu anonimato. Uma segunda parcela de 2 bilhões será adicionada gradualmente ao longo de dois anos, em 2021 e 2022.

O Covax, codirigido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a Gavi Vaccine Alliance e a Coalizão para Inovações em Preparação para Epidemias (Cepi), foi criado em junho de 2020 para garantir o acesso rápido e equitativo às vacinas contra a covid-19 ao redor o mundo.

"Os Estados Unidos estão realmente empolgados em fazer sua primeira contribuição ao Covax", garantiu o funcionário da Casa Branca. "Acreditamos que é vital desempenhar um papel no combate à pandemia globalmente."

Ele observou que, embora os Estados Unidos estejam "priorizando" as necessidades domésticas, a assistência a outros países "diminui o risco para todos no mundo, inclusive os americanos, e também diminui o risco de variantes" do vírus.

Por enquanto, o foco é disponibilizar recursos para a compra de novas vacinas, mas "quando tivermos estoque suficiente, é nossa intenção avaliar a doação de vacinas excedentes", disse a fonte.

A primeira reunião virtual do Grupo dos Sete (G7), com foco na pandemia do coronavírus e no clima, está marcada para sexta-feira, por volta das 14h GMT (11h do horário de Brasília).

O encontro reunirá os líderes dos Estados Unidos, Canadá, França, Reino Unido, Alemanha, Itália e Japão, na presença dos chefes da União Europeia, e será presidido pelo primeiro-ministro Boris Johnson.

Londres assumiu a presidência rotativa do grupo e planeja sediar uma cúpula de seus líderes em um resort à beira-mar da Cornualha em junho.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE