Jogos Olímpicos

Comitê Olímpico dos EUA se opõe a boicotar os Jogos Olímpicos de Pequim-2022

Os Jogos de Inverno de Pequim-2022 estão previstos para começar em 4 de fevereiro do ano que vem

Agência France Presse
postado em 07/04/2021 13:36 / atualizado em 07/04/2021 13:42
 (crédito: Matt Roberts / Getty Images via AFP)
(crédito: Matt Roberts / Getty Images via AFP)

O Comitê Olímpico e Paralímpico dos Estados Unidos (USOPC) reafirmou nesta quarta-feira (7) sua oposição a boicotar os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim-2022. Os boicotes "mostraram ter consequências negativas para os atletas, já que não respondem satisfatoriamente aos problemas internacionais", disse Susanne Lyons, presidente do USOPC

"Para nossos jogadores, seu único sonho é representar os Estados Unidos e nós os apoiamos", acrescentou Lyons. "Não achamos que os jovens atletas do Team USA devam ser usados politicamente".

Os Jogos de Inverno de Pequim-2022 estão previstos para começar em 4 de fevereiro do ano que vem, seis meses depois dos Jogos de Verão de Tóquio-2020, que foi adiado para julho e agosto de 2021 devido à pandemia.

A China enfrenta pressões internacionais em diversas questões, entre elas o que os observadores dos direitos afirmam ser a prisão em massa e doutrinação de mais de um milhão de uigures e outras pessoas, em sua maioria muçulmanas, na região de Xinjiang.

A superpotência asiática denunciou os apelos ao boicote e nega o genocídio dos uigures, alegando que fornece formação profissional às minorias para reduzir o atrativo do extremismo islâmico.

Pressões 

Na terça-feira, o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, disse que é "algo que com certeza queremos discutir" quando questionado se os Estados Unidos considerariam um boicote conjunto com seus aliados.

"Entendemos que uma abordagem coordenada não será apenas do nosso interesse, mas também do interesse de nossos aliados e parceiros", acrescentou, sem revelar uma posição. Cada vez mais ativistas e políticos republicanos pedem um boicote aos Jogos Olímpicos de Pequim.

"No que diz respeito às nossas preocupações com o governo de Pequim, incluindo as violações atrozes dos direitos humanos em Pequim e sua conduta genocida no caso de Xinjiang, a ação dos Estados Unidos é significativa", disse Price.

O governo do presidente americano Joe Biden manteve a porta aberta em várias ocasiões para boicotar os Jogos Olímpicos de Inverno, sem anunciar nenhuma direção firme.

No entanto, Price afirmou posteriormente que "os Estados Unidos não têm nada a anunciar sobre os Jogos Olímpicos de Pequim" e escreveu no Twitter que "continuaremos em consulta permanente com nossos aliados e sócios para definir nossas preocupações comuns e estabelecer a nossa abordagem compartilhada".

Um possível boicote faz cada vez mais parte da política interna dos Estados Unidos.

O ex-secretário de Estado Mike Pompeo, que depois de deixar o cargo pediu um boicote aos Jogos de Inverno, escreveu no Twitter: "Se você mora na China continental, o documento de eleitor não é necessário porque não há votação".

Os Estados Unidos lideraram um boicote às Olimpíadas de Moscou de 1980 pela invasão soviética do Afeganistão, e o bloco soviético, em retaliação, boicotou os Jogos de Verão em Los Angeles quatro anos depois.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE