3 anos de prisão

Farmacêutico americano é condenado por tentar deteriorar vacinas anticovid

Steven Brandenburg se declarou culpado e confessou ter retirado dezenas de doses da vacina Moderna do refrigerador. Ele foi condenado à prisão e à multa de US$ 83 mil. Pelo menos 57 pessoas receberam as doses

Agência France-Presse
postado em 09/06/2021 07:57 / atualizado em 09/06/2021 07:58
 (crédito: AFP / Joseph Prezioso)
(crédito: AFP / Joseph Prezioso)

Washington, EUA - Um farmacêutico americano foi condenado a três anos de prisão depois que se declarou culpado de deteriorar de forma voluntária dezenas de doses de vacinas contra a covid, informou o Departamento de Justiça.

Steven Brandenburg, de 46 anos, retirou deliberadamente frascos do imunizante da Moderna do refrigerador do hospital em que trabalhava no Wisconsin, de acordo com documentos judiciais. O farmacêutico também terá que pagar US$ 83.800 ao hospital como compensação.

Ele retirou as vacinas da geladeira durante o turno noturno e as deixou por várias horas em temperatura ambiente antes de colocá-las de volta na geladeira para que fossem aplicadas no dia seguinte. No total, 57 pessoas receberam estas doses, segundo o governo.

"A tentativa deliberada de deteriorar doses de vacina em uma situação de emergência sanitária nacional é um crime grave", afirmou Brian Boynton, assistente do procurador-geral responsável por questões civis no Departamento de Justiça.

Steven Brandenburg declarou que acreditava que a vacina era perigosa para as pessoas e poderia modificar o DNA. A vacina da Moderna, assim como a desenvolvida pela Pfizer-BioNTech, é baseada na tecnologia de RNA mensageiro, um sistema que 'ensina' o sistema imunológico a combater um vírus.

Mais de 124 milhões de doses do imunizante da Moderna foram aplicadas nos Estados Unidos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE