PERU

Presidente eleito acena a todos os matizes políticos

Correio Braziliense
postado em 20/07/2021 21:40

Um dia depois de ser confirmado pelo Júri Nacional de Eleições (JNE) como presidente eleito do Peru, o esquerdista Pedro Castillo deixou entrever que o novo governo será formado por figuras de diversos matizes políticos. “Estamos estruturando uma equipe de trabalho e vejo que há pessoas muito interessadas em contribuir no apoio a este governo, de todas as tendências políticas, pessoas que também não são políticos e que têm toda a disponibilidade”, assegurou Castillo, que deve assumir as rédeas do país em uma semana. Ontem, o próximo líder peruano recebeu cumprimentos do Brasil e dos Estados Unidos. A embaixada americana em Lima disse esperar estreitar os laços com o novo governo.
Ele anunciou que sua equipe convoca “a todos os técnicos, às pessoas mais distintas e comprometidas com o país” para que se somem à equipe do novo governo. As declarações foram dadas à imprensa após Castillo sair do escritório do Registro Nacional de Identificação e Registro Civil (Reniec), no centro de Lima.
O professor de escola rural, que sempre usa um chapéu branco de copa alta típico dos camponeses de sua cidade natal, Cajamarca (norte), foi proclamado, na noite de segunda-feira, presidente eleito do Peru, seis semanas depois do disputado segundo turno de 6 de junho. Ele derrotou a direitista Keiko Fujimori, filha do ex-presidente Alberto Fujimori, por uma diferença de 44.263 votos — 50,12% (8.836.380 votos) contra 49,87% (8.792.117). Após o anúncio da vitória, Castillo adotou um discurso conciliador. “Trago um coração aberto para cada um de vocês, aqui neste peito não há ressentimento”, declarou, no fim da noite de segunda-feira. “Eu convido a senhora Keiko Fujimor (…) a fazer o país avançar.”
A demora na proclamação do resultado ocorreu porque o JNE precisou resolver as impugnações de milhares de votos e dezenas de apelações apresentadas por Keiko. A candidata derrotada denunciou “fraude” no segundo turno sem exibir provas conclusivas, apesar de os observadores da OEA, assim como os Estados Unidos e a União Europeia, terem dito que a votação foi limpa.
A governabilidade é um dos desafios de Castillo, depois de uma polarizada campanha e de um quinquênio governamental marcado por convulsões políticas, que levaram o país a ter três presidentes em novembro de 2020. “Peço tranquilidade, serenidade ao povo peruano. Esta é uma responsabilidade não só do governo, mas de todos os peruanos”, disse Castillo em uma alusão tácita a seus adversários na saída do Reniec, próximo ao cinquentenário Convento de São Francisco.
“Pedro foi fazer um trâmite pessoal (no Reniec), foi tirar seu DNI” (Documento Nacional de Identidade), explicou um porta-voz de sua equipe. Castillo, de 51 anos, deve anunciar a qualquer momento os nomes de seu chefe de gabinete e ministros-chave.

Bolsonaro deseja sucesso ao vizinho
O Ministério das Relações Exteriores brasileiro divulgou nota, na noite de ontem, na qual informa que o governo de Jair Bolsonaro “cumprimenta o senhor José Pedro Castillo Terrones por sua eleição à Presidência da República do Peru”. “Ao reafirmar a importância dos tradicionais laços de amizade e cooperação entre Brasl e Peru, o governo brasileiro faz votos de êxito ao presidente Castillo no desempenho de seu mandato e manifesta a disposição em seguir trabalhando em prol do bem-estar dos dois países, na defesa da liberdade e da democracia, e de toda a região”, diz o comunicado.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE