Quito

Defensor do Povo do Equador será processado por suposto abuso sexual

Freddy Carrión foi acusado de ter participado em uma festa clandestina durante um toque de recolher e a proibição de reuniões ordenados pelo governo

Agência France-Presse
postado em 11/08/2021 10:08 / atualizado em 11/08/2021 10:08
 (crédito: GUSTAVO IZUS, TATIANA MAGARINOS, GIULIO FURTADO / AFP)
(crédito: GUSTAVO IZUS, TATIANA MAGARINOS, GIULIO FURTADO / AFP)

O Defensor do Povo do Equador (ombudsman), Freddy Carrión, será julgado por suposto crime de abuso sexual, informou o MP.

A Corte Nacional de Justiça "convoca o julgamento do Defensor do Povo, Freddy C., como suposto autor do delito de abuso sexual", afirmou a instituição que apresentou a acusação.

O juiz ratificou a ordem de prisão preventiva, que Carrión cumpre desde 17 de maio passado em uma penitenciária de Quito.

Carrión foi detido após a divulgação de um vídeo em que ele supostamente aparece brigando com uma mulher e agredindo Mauro Falconí, ex-ministro da Saúde do governo do ex-presidente Lenín Moreno e destituído pelas falhas na campanha de vacinação contra a covid.

O Defensor do Povo foi acusado de ter participado em uma festa clandestina durante um toque de recolher e a proibição de reuniões ordenados pelo governo.

Na ocasião, ele afirmou em uma carta pública sua "total predisposição para cooperar com as investigações" e admitiu que esteve na casa de Falconí.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE