Venerabilidade

Papa e presidente chileno discutem justiça social, direitos humanos e Constituinte

Este já é o segundo encontro no Vaticano do presidente conservador chileno com o papa argentino

Agência France-Presse
postado em 09/09/2021 13:45
 (crédito: Handout / VATICAN MEDIA / AFP)
(crédito: Handout / VATICAN MEDIA / AFP)

O papa Francisco manteve, nesta quinta-feira (9), uma longa reunião de uma hora no Vaticano com o presidente chileno Sebastián Piñera, durante a qual discutiram justiça social, direitos humanos e a Constituinte.

Durante a conversa, abordaram "o compromisso comum em favor da paz, da justiça social, da proteção dos pobres, dos marginalizados e das pessoas mais vulneráveis", informou a Santa Sé em um comunicado.

Este é o segundo encontro no Vaticano do presidente conservador chileno com o papa argentino, depois do ocorrido em 13 de outubro de 2018, que foi marcado pela grave crise na Igreja chilena após os escândalos de pedofilia.

O presidente sul-americano foi recebido no palácio pontifício, após o que se encontrou com o secretário de Estado do Vaticano, o cardeal Pietro Parolin.

Francisco, que costuma ser muito atento aos assuntos latino-americanos, abordou a delicada questão do trabalho da Convenção Constituinte em substituição à atual Constituição, herdada da época do ditador Augusto Pinochet.

"Falaram da situação interna do país, dando atenção especial ao desenvolvimento socioeconômico, ao processo de reforma da Constituição e às relações com a Igreja católica", segundo a nota do Vaticano.

A visita do presidente coincide com a nomeação na véspera pelo papa do padre chileno Andrés Ferrada Moreira como novo secretário da Congregação para o Clero.

Ferrada foi uma das vítimas que denunciou os abusos do influente padre pedófilo Fernando Karadima e em 2018 foi recebido pelo papa no Vaticano por alguns dias como um gesto de solidariedade.

- Pós-pandemia e mudanças climáticas -
O chefe de Estado chileno, que deixará o poder em março de 2022, realiza viagem pela Europa para promover a modernização de um acordo internacional para a prevenção de futuras pandemias e apoia a agenda de combate às mudanças climáticas, questões que estão entre as maiores preocupações do pontífice.

"Expressou-se o desejo de uma colaboração serena, tendo em conta a contribuição que (a Igreja) oferece ao bem de toda a população nas esferas caritativa, educacional e social, especialmente neste período crítico da pandemia", ressalta a declaração da Santa Sé.

"O encontro também permitiu trocar pontos de vista sobre alguns temas da atualidade internacional e regional e da promoção da paz e dos direitos humanos no mundo", conclui o comunicado.

"Hoje tive a oportunidade de ter uma conversa muito pessoal, muito profunda e muito extensa com o Santo Padre", disse o presidente chileno ao final do encontro.

"O respeito pelos direitos humanos de todos, o valor da família, o valor de cuidar e proteger o meio ambiente, o valor da solidariedade são valores fundamentais para o Chile que todos queremos construir juntos", reiterou o presidente.

Durante o encontro, realizado conforme a tradição na biblioteca papal, o presidente sul-americano entregou ao pontífice um tabuleiro de xadrez feito de combarbalite, uma pedra semipreciosa do Chile, enquanto o papa lhe entregou uma imagem de São Pedro e todos os seus escritos como pontífice.

Na véspera, Piñera foi recebido pelo presidente da República italiana, Sergio Mattarella, e também pelo chefe de governo, Mario Draghi, com quem também conversou sobre a recuperação econômica pós-pandemia e as mudanças climáticas.

Piñera iniciou o tour europeu na segunda-feira na França, seguindo depois para Espanha e Itália, que termina na sexta-feira na Grã-Bretanha.

Francisco esteve no Chile de 15 a 18 de janeiro de 2018, na que foi considerada uma das viagens mais delicadas de seu pontificado.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE