Assédio

Ex-primeira ministra dinamarquesa acusa Giscard d'Estaing de assédio

Os fatos ocorreram em 2002-2003 durante um jantar na embaixada da França em Copenhague

Agência France-Presse
postado em 04/10/2021 11:49 / atualizado em 04/10/2021 11:49
 (crédito: JACQUES COLLET / BELGA / AFP)
(crédito: JACQUES COLLET / BELGA / AFP)

A ex-primeira-ministra dinamarquesa Helle Thorning-Schmidt acusou o ex-presidente francês Valéry Giscard d'Estaing de tê-la assediado, em fragmentos de suas memórias publicados na imprensa da Dinamarca nesta segunda-feira (4).

"Vi que Giscard d'Estaing estava sentado ao meu lado e colocava a mão na minha coxa por baixo da mesa. Foi uma loucura. Me perguntei o que estava acontecendo, troquei de lugar e acabou", escreveu a ex-dirigente social-democrata no livro "Considerações de uma loira".

Os fatos ocorreram em 2002-2003 durante um jantar na embaixada da França em Copenhague.

Naquele momento, Thorning-Schmidt participava da Convenção Europeia, criada para elaborar uma Constituição para a UE e presidida pelo ex-dirigente francês, que morreu em dezembro do ano passado.

"Hoje isso seria considerado assédio sexual. Naquele momento, não. Era outra época, mas me pareceu inadequado e esta situação me deixou muito indignada", declarou à agência local Ritzau.

Thorning -Schmidt foi a primeira mulher à frente de um governo dinamarquês, entre 2011 e 2015, e liderou os social-democratas de 2005 a 2015.

Essa não é a primeira vez que Valéry Giscard d'Estaing é acusado de assédio.

Em março de 2020, uma jornalista da televisão pública alemã WDR, Ann-Kathrin Stracke, de 37 anos, apresentou uma denúncia contra o ex-presidente francês, acusando-o de ter tocado em seu quadril três vezes durante uma entrevista em Paris.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE