NORUEGA

Ataque com arco e flecha mata cinco e fere dois

Polícia prende homem suspeito de disparar a esmo, em diferentes pontos de Kongsberg, cidade de 25 mil habitantes situada no sudeste do país. Autoridades não descartam motivação terrorista.

Correio Braziliense
postado em 13/10/2021 21:26

O horror em Kongsberg, cidade de 25 mil habitantes situada no sudeste da Noruega, teve início pouco depois das 18h (13h em Brasília). Armado com um arco e flecha, um homem disparou a esmo contra as pessoas, matando pelo menos cinco e ferindo duas. O suspeito, cujo nome não foi revelado, está sob custódia da polícia. As autoridades não descartam motivação terrorista. “Lamentavelmente, podemos confirmar que há vários feridos e também, desgraçadamente, vários mortos”, afirmou Øyvind Aas, funcionário da polícia local, em coletiva de imprensa. Segundo ele, os dois feridos foram hospitalizados em unidades de terapia intensiva, mas nada indica que suas vidas estejam em perigo. Um deles era um policial que estava de folga e se encontrava em um dos vários locais atacados. Poucos detalhes foram revelados sobre o atentado, que ocorreu em um “uma ampla área”, segundo a polícia.
Aas acrescentou que apenas uma pessoa esteve envolvida nos assassinatos. “Ao ver como os fatos se desenvolveram, é natural considerar que se tratou de um ataque terrorista”, disse o policial. “O homem detido ainda não foi interrogado e é cedo para falar sobre os motivos do ataque”, acrescentou, ao detalhar que os investigadores “mantêm todas as hipóteses em aberto”.
A polícia não deu detalhes sobre o suspeito, exceto que se trata de um homem e que foi levado para a delegacia da cidade vizinha de Drammen. Também não confirmou nem desmentiu que ele era monitorado pelas forças de segurança e acrescentou que não está à procura de outro suspeito. Por meio de um comunicado, a Direção da Polícia informou que, ante a gravidade do incidente, os agentes noruegueses estariam temporariamente armados. “Esta é uma medida adicional de emergência.” Sob a lei do país, os oficiais precisam de aprovação prévia para portar armas de fogo.
“Esses fatos nos comovem”, declarou a primeira-ministra Erna Solberg, em seu último dia no cargo. Hoje, ela cederá seu posto ao trabalhista Jonas Gahr Støre, vencedor das eleições legislativas de 13 de setembro. “Meus pensamentos e minha profunda simpatia vão para os afetados e suas famílias, a polícia e os funcionários de saúde, que trabalham em período integral para ajudar aos que necessitam”, escreveu Støre no Facebook. Informada às 18h13 locais, a polícia capturou o suspeito 34 minutos depois.
Em Kongsberg, a pouco menos de 80km de Oslo, o acesso aos locais do ataque foi bloqueado por um cordão policial. As autoridades pediram à população local que permanecesse em suas casas. Vários bairros foram isolados, e imagens de televisão mostravam um grande dispositivo policial, fortemente armado, e ambulâncias. Um helicóptero e uma equipe de antibomba foram enviados para Kongsberg.

Fotos

A emissora pública de televisão NRK mostrou em seu site uma foto enviada por uma testemunha que mostra uma flecha de cor preta cravada em uma parede. Em outras imagens é possível ver o que parecem ser flechas de competição no chão. O jornal norueguês VG informou que a polícia disparou tiros no momento da abordagem ao suspeito.
A Noruega, um país geralmente pacífico, foi cenário de ataques de extrema-direita no passado. Em 22 de julho de 2011, o extremista Anders Behring Breivik matou 77 pessoas ao detonar uma bomba nos arredores do edifício do governo em Oslo, antes de abrir fogo em um acampamento da juventude do Partido Trabalhista norueguês na Ilha de Utøya, próxima da capital.
Em agosto de 2019, Philip Manshaus atirou contra uma mesquita nos subúrbios de Oslo, antes de ser rendido pela multidão, sem que houvesse feridos graves. Antes do ataque, Manshaus assassinou, por motivação racista, a irmã adotada, que tinha origem asiática. As autoridades também frustraram vários atentados islamistas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE