China

China cancela casamentos e centenas de voos por novos focos de covid-19

O número de casos continua muito mais baixo do que na maioria dos países, com 48 novas infecções notificadas nesta sexta-feira. Ainda assim, o governo chinês prefere não correr riscos

Agência France-Presse
postado em 29/10/2021 09:23
 (crédito: Noel Celis / AFP)
(crédito: Noel Celis / AFP)

As autoridades de Pequim cancelaram centenas de voos e pediram a seus cidadãos que adiassem casamentos e realizassem funerais mais curtos, depois de endurecer, nesta sexta-feira (29), as medidas de contenção para impedir novos focos de covid-19 antes do início dos Jogos Olímpicos de Inverno.

O país mais populoso do mundo reduziu ao mínimo o número de casos de coronavírus desde o início da pandemia, graças às medidas de tolerância zero adotadas pelo governo. Entre elas, o fechamento de fronteiras, confinamentos seletivos e longos períodos de quarentena.

Agora, a China está enfrentando novos surtos em várias regiões que recebem muitos turistas. Este quadro levou as autoridades a ordenarem que milhões de cidadãos fiquem em casa, restrinjam suas viagens entre as províncias e se submetam a testes de detecção de coronavírus.

O número de casos continua muito mais baixo do que na maioria dos países, com 48 novas infecções notificadas nesta sexta-feira. Ainda assim, o governo chinês prefere não correr riscos.

As autoridades, porém, preferem não arriscar e impuseram um confinamento a dezenas de milhares de pessoas em Pequim, capital do país e cidade que sediará os Jogos Olímpicos em fevereiro, após a detecção de alguns casos de coronavírus.

Os residentes devem "adiar casamentos, realizar funerais curtos, não organizar banquetes e reduzir reuniões desnecessárias", declarou nesta sexta Pang Xinghuo, vice-diretor do centro de controle de doenças, em entrevista coletiva.

Além disso, os locais turísticos limitarão sua capacidade, enquanto o recém-inaugurado complexo da Universal Studios entrará em "estado de emergência para prevenção epidemiológica", segundo anunciou o vice-diretor do Gabinete de Informação, Xu Hejian.

Segundo a plataforma chinesa Feichangzhun, metade dos voos dos dois principais aeroportos da capital foi cancelada hoje.

Na frente aos centros médicos da capital, longas filas se formavam, com pessoas à espera de cumprir os rígidos controles anticovid-19 implementados pelas autoridades sanitárias chinesas.

Tu Anling, uma cientista da computação de 24 anos, disse à AFP que precisava de um teste para poder viajar de trem para Nanjing, cidade localizada a cerca de 1.000 quilômetros ao sul da capital.

"Inicialmente, combinei de encontrar meus amigos aqui (em Pequim), mas o recente surto fez com que muitos deles dissessem que não viriam mais", contou Tu Anling.

Muitas regiões estão exigindo que os passageiros apresentem um teste negativo antes de entrar, sobretudo, no caso daqueles que se deslocam de cidades onde houve registro recente de infecções.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE