Justiça

Policial belga é condenado pela morte de menina iraquiana em 2018

A menina, Mawda, foi enterrada na Bélgica e seus pais receberam permissão especial para permanecer no país por motivos humanitários, e sua situação foi regularizada em 2020

Agência France-Presse
postado em 04/11/2021 13:52
 (crédito: AFP / BELGA / THIERRY ROGE)
(crédito: AFP / BELGA / THIERRY ROGE)

Um tribunal de apelações belga condenou, nesta quinta-feira (4), a dez meses de prisão sob sursis um policial que, em 2018, abriu fogo contra uma van com imigrantes e causou a morte de uma menina iraquiana de 2 anos.

Em fevereiro, o agente Victor Manuel Jacinto Gonçalves havia sido condenado a um ano de prisão sob sursis. Seus advogados recorreram da sentença em meio à uma grande comoção na Bélgica.

Gonçalves foi condenado por homicídio culposo e a pagar multa ao tribunal de apelações da cidade belga de Mons, informaram fontes judiciais.

Na noite do dia 16 de maio de 2018, a patrulha de Gonçalves estava em movimento e iniciou a perseguição a uma van que escapou de um posto de controle policial na região belga da Valônia (sul).

A certa altura da perseguição, Gonçalves tentou atirar nos pneus do caminhão, mas uma bala atingiu a cabeça de uma menina que viajava dentro do veículo com seus parentes, imigrantes ilegais.

Ao longo do processo, o agente alegou que não teria atirado se soubesse que havia imigrantes com crianças dentro do veículo.

A menina, Mawda, foi enterrada na Bélgica e seus pais receberam permissão especial para permanecer no país por motivos humanitários, e sua situação foi regularizada em 2020.

O episódio se tornou emblemático no país e Mawda virou um símbolo para os ativistas dos direitos dos migrantes contra o que consideram a "desumanização" dos migrantes em situação irregular na Bélgica.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE