Imunização

Agência Europeia analisa pedido de autorização da vacina Moderna para crianças

Vários países, incluindo França e Alemanha, desaconselham a injeção desta vacina em pessoas com menos de 30 anos de idade devido a um baixo risco de inflamação cardíaca

Agence France-Presse
postado em 10/11/2021 12:22
 (crédito: Angela Weiss / AFP)
(crédito: Angela Weiss / AFP)

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) informou nesta quarta-feira(10) que deve decidir em cerca de dois meses se a aplicação da vacina contra covid-19 da Moderna pode ser estendida a crianças de 6 a 11 anos.

Vários países, incluindo França e Alemanha, desaconselham a injeção desta vacina em pessoas com menos de 30 anos de idade devido a um baixo risco de inflamação cardíaca.

A empresa americana de biotecnologia apresentou na terça-feira um pedido de autorização da vacina contra o coronavírus ao regulador europeu para ser usada nessa faixa etária.

"O programa de avaliação atual prevê uma decisão em cerca de dois meses, a menos que mais informações ou análises sejam necessárias", informou a EMA, com sede em Amsterdã, em nota.

"Este é um cronograma acelerado quando comparado a análises semelhantes fora da pandemia", acrescentou a EMA.

Até agora, o soro da Moderna é autorizado pela EMA a partir dos 12 anos. Mas vários países, incluindo a França, desaconselharam na segunda-feira o uso do produto abaixo de uma certa idade (30 anos no caso francês), por temores de que pudesse causar miocardite.

Este efeito colateral foi detectado especialmente em adolescentes e adultos jovens, principalmente homens.

No final de outubro, a Moderna anunciou resultados positivos de seus testes clínicos em crianças de 6 a 11 anos, uma vez que a vacina provocou "uma forte resposta imunológica" com níveis "robustos" de anticorpos detectados.

A EMA também estuda dados da Pfizer, que solicitou permissão para usar seu imunizante em crianças de 5 a 11 anos. Essa análise pode ser concluída em dezembro, informou o regulador na semana passada.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE