Gênero

Seleção feminina da Jordânia exige que goleira do Irã comprove que não é homem

A jogadora acusada, Zohreh Koudaei, prometeu entrar na Justiça contra a federação da Jordânia.

Luísa Mariana Moura*
postado em 17/11/2021 09:03
 (crédito: Divulgação)
(crédito: Divulgação)

A Associação de Futebol da Jordânia exigiu que sejam feitos exames para comprovar o sexo de uma jogadora da seleção feminina iraniana, a goleira Zohreh Koudaei, de 32 anos. 

O pedido foi feito à Confederação Asiática de Futebol (AFC), após as duas seleções se enfrentaram pelas Eliminatórias para a Copa Asiática feminina, em setembro. O jogo terminou empatado por 0 a 0 no tempo normal, mas o Irã acabou vencendo por 4 a 2 nas penalidades.


Após a partida, o príncipe Ali Bin al-Hussein, presidente da federação jordaniana, publicou uma carta exigindo que os testes sejam feitos para verificar o sexo de Koudaei.

O Presidente da Federação coloca “dúvidas sobre a elegibilidade da jogadora”, e afirma que o Irã “tem um longo histórico no que diz respeito a questões de gênero e de dopagem” das suas atletas.

No relevance to previous tweets but it’s a very serious issue if true. Please wake up @theafcdotcom pic.twitter.com/egk678CXCX

A treinadora da equipe, Maryam Irandoost, qualificou essa iniciativa como um "falso pretexto" da Jordânia para não aceitar a derrota e afirmou também que não terá receio de entregar qualquer tipo de documentação.

A jogadora acusada, Zohreh Koudaei, prometeu entrar na Justiça contra a federação da Jordânia. "Sou uma mulher. Eles estão fazendo bullying comigo", disse Zohreh Koudaei à imprensa iraniana.

Em 2015, o Irã foi acusado de usar jogadores masculinos na seleção feminina. Apesar de nunca comprovado, existia a suspeita de que jogadoras aguardavam uma cirurgia de readequação sexual.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE