obituário

Taylor Hawkins, baterista, 50

Músico estava na Colômbia e era o integrante mais carismático da banda de rock Foo Figthers, que se apresentaria hoje, em SP

Correio Braziliense
postado em 27/03/2022 00:01
 (crédito:  AFP)
(crédito: AFP)

O baterista do grupo de rock Foo Fighters, Taylor Hawkins, morreu ontem, aos 50 anos, em um hotel de Bogotá, pouco antes de um show que o grupo faria no Festival Estéreo Picnic, nos arredores da capital colombiana. O anúncio foi feito pelos companheiros de banda, ganhadora de vários prêmios Grammy, em um comunicado.

A prefeitura de Bogotá informou que a linha de emergência local recebeu uma ligação, na noite de sexta-feira, para atender um "paciente com dor no peito". Ao chegar, os socorristas encontraram uma médica particular que "fez as correspondentes manobras de reanimação; no entanto, não houve resposta, e o doente foi declarado falecido", acrescenta a mensagem.

Um exame toxicológico encontrou 10 substâncias no corpo do baterista, "entre elas THC (maconha), antidepressivos tricíclicos, benzodiazepínicos e opioides", informou a Procuradoria da Colômbia, sem esclarecer se essas substâncias provocaram a morte do músico.

Colíder de uma das bandas de rock alternativo mais influentes e aclamadas pela crítica no mundo, Hawkins era conhecido por seu carisma no palco e por seus ritmos inspirados no rock clássico.

Hawkins fazia parte do Foo Fighters desde 1997, quando foi contratado pelo vocalista e ex-baterista do Nirvana Dave Grohl, contribuindo com a percussão em alguns dos maiores sucessos do grupo, como Learn to fly e Best of you. Antes de se juntar ao Foo Fighters, Taylor tocou bateria para a cantora indie canadense Alanis Morissette.

"A família Foo Fighters está arrasada pela trágica e prematura perda do nosso querido Taylor Hawkins", declarou a banda em um comunicado no Twitter, acrescentando que "seu espírito musical e seu riso contagiante viverão conosco para sempre". O americano era casado com a ilustradora Alison Hawkins, mãe de seus três filhos.

Em um comunicado, a organização do festival colombiano anunciou o cancelamento do show da banda. Também foi cancelada a apresentação que faria hoje no Lollapalooza, em São Paulo. Milhares de fãs que aguardavam a apresentação do grupo fizeram um minuto de silêncio e acenderam velas, logo que souberam da notícia de sua morte.

O Foo Fighters comemorou seu 25º aniversário no ano passado, em uma turnê que havia sido adiada pela pandemia da covid-19. Mais recentemente, a banda produziu Studio 666, um filme de terror rock'n'roll.

Comoção e reverência

Atração principal da noite de ontem no Lollapalooza, a cantora pop Miley Cyrus dedicou o show no Brasil ao baterista. Nas redes sociais, publicou uma foto do músico com a frase: "É assim que sempre me lembrarei de você".

Baterista da banda mais famosa de todos os tempos, os Beatles, Ringo Star se disse solidário com a família de Hawkins e com os integrantes da Foo Fighters. O lendário Ozzy Osbourne aclamou-o como "uma grande pessoa e um músico incrível", enquanto o astro punk Billy Idol descreveu a notícia como "trágica".

O guitarrista do Rage Against the Machine, Tom Morello, elogiou seu "incansável poder do rock".

"Em total incredulidade com a notícia de Taylor Hawkins", disseram os roqueiros do Nickelback, no Twitter. "Nossas mais profundas condolências à sua família, a seus companheiros de banda, a seus amigos e a todos que já foram tocados pela música que ele criou com @foofighters, @Alanis e tantos outros", completa a nota.

Artistas brasileiros também lamentaram, nas redes sociais, a morte do músico. A roqueira Pitty foi uma das primeiras a se manifestar, no Twitter, com a frase "Eu não acredito". A atriz Thaila Ayala publicou, em sua conta no Instagram, uma foto dela com o baterista, que considera "o maior de todos". "Hoje, o rock amanheceu mudo, de luto. Fã desde sempre", completou.

CONTINUE LENDO SOBRE