Grammy

Noite consagra Olivia Rodrigo

Ricardo Daehn
postado em 04/04/2022 00:01
 (crédito:  Getty Images via AFP)
(crédito: Getty Images via AFP)

Ao todo, 86 categorias trouxeram premiados, na cerimônia do 64º Grammy, a partir de gigantesca lista dos artistas considerados os melhores da indústria fonográfica. A festa, deslocada da inicial data de janeiro, transcorreu no MGM Grand Garden (Las Vegas).

Para o Brasil, foi importante o reconhecimento da pianista Eliane Elias (com o melhor álbum latino de jazz, Mirror mirror). Eliane foi destacada na chamada pré-cerimônia, que antecedeu a festa televisionada a partir das 21h, com concentração dos prêmios centrais. Ainda neste bloco inicial, Subconsciously, álbum do DJ sul-africano Black Coffee, tido como melhor álbum de música eletrônica, destronou Music is weapon, incrementado pela presença de Ludmilla e Anitta.

Uma das grandes expectativas da noite esteve na prometida quádrupla coroação (o chamado Big 4) da jovem Olivia Rodrigo, a exemplo das companheiras de ofício Norah Jones e Billie Eilish. Pouco mais de quatro meses desde o anúncio dos indicados aos prêmios Grammy, Olivia começou a noite já dona da categoria melhor performance solo pop (com drivers license, apresentada no palco, pouco depois de uma abertura à la anos 1970 do duo Silk Sonic).

Bruno Mars e Anderson Paak estiveram, de cara, na festa, celebrando a conquista dos compositores do hit embalado em soul Leave the door open (vencedora também do prêmio de canção R&B). Dando largada na esperada consagração, Olivia Rodrigo, que competia com outros nove nomes, obteve a vitória na categoria de artista revelação, aos 19 anos. Ela agradeceu a Academia de Gravação dos Estados Unidos, por ver "o maior sonho se tornando realidade".

Latinidade

Ultradançante, Qué más pues? trouxe a latinidade à festa, com J Balvin e María Becerra. Indicado a cinco prêmios Grammy, o astro do hip-hop Lil Nas X cravou um eletrizante pot-pourri que agrupou Dead right now, Montero e Industry Baby. Uma semana depois de vencer o Oscar, pela música (No time to die) do mais recente filme de 007, Billie Eilish subiu no palco reafirmando o vigor dos seus 20 anos, e, de quebra, rendendo homenagem ao baterista Taylor Hawkins (morto na Colômbia), do Foo Fighters, representado na estampa da camiseta da artista. Happier then ever foi a inspirada faixa do número mostrado ao vivo.

No quesito rock, a banda de Dave Grohl foi vencedora nas categorias álbum, música e performance. O título de melhor álbum tradicional pop (Love for sale) foi para a parceria entre Lady Gaga e o veterano Tony Bennett.

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE