Mercado S/A

"A metrópole que teve maior expansão da tecnologia foi Brasília, que saltou de 82,4%, em 2019, para 87,3%, em 2020"

Amauri Segalla
postado em 15/12/2020 23:38
 (crédito: Douglas C. Pizac/AP - 11/7/03)
(crédito: Douglas C. Pizac/AP - 11/7/03)

Belo Horizonte e Brasília lideram 4G
Um estudo realizado pela consultoria Opensignal constatou que Belo Horizonte possui a maior disponibilidade de sinal 4G do Brasil. A pesquisa, que analisou dados das 10 maiores cidades do país, adotou como parâmetro o tempo que o usuário consegue permanecer conectado à rede de quarta geração nos lugares que visita. Em BH, o índice é de 91%. Fortaleza, com 89,4%, e Manaus, com 89,4%, completam o pódio. A metrópole que teve maior expansão da tecnologia foi Brasília, que saltou de 82,4%, em 2019, para 87,3%, em 2020. São Paulo teve crescimento tímido, passando de 84,6% para 85,9%. Em média, a oferta do 4G aumentou 4,5% nas cidades brasileiras no terceiro trimestre de 2020 na comparação com o mesmo período de 2019. O estudo também compilou informações das principais companhias de telecomunicações. A TIM lidera a disponibilidade do sinal 4G para clientes brasileiros, com o índice de 82%, à frente da Vivo (79,5%), Claro (79%) e Oi (70,2%).

 

Fibra óptica conecta Brasil a Portugal
O Brasil deu um importante passo — ou um mergulho — para melhorar os seus sistemas de comunicação. A empresa de conectividade EllaLink começou nesta semana a ancoragem do novo cabo submarino de fibra óptica que ligará o país à Europa. As obras, iniciadas em Fortaleza (CE), vão se estender pelos próximos meses. Serão 6 mil quilômetros de cabeamento de alta capacidade até Sines, em Portugal. Concluída esta etapa, a rede EllaLink deverá entrar em operação no segundo trimestre de 2021.

 

"O trabalho duro é fundamental, uma boa equipe é essencial, o cérebro tem valor inestimável. Muitas vezes, no entanto, é a sorte que define o resultado”
Philip Knight, fundador da Nike

 


Fleury vai dar aula
O Grupo Fleury, um dos maiores da área de medicina diagnóstica do país, lançará em 2021 uma série de iniciativas para diversificar os negócios. A primeira delas será a abertura, em fevereiro, de um centro de medicina reprodutiva em São Paulo, com sala cirúrgica, laboratórios de embriologia e espaço para congelamento de óvulos, sêmen e embriões. Outra iniciativa é a criação da startup Pupilla, uma plataforma digital de educação médica com conteúdo voltado para profissionais do ramo da saúde.

 

72%
dos brasileiros acham que o auxílio emergencial deveria ser prorrogado por alguns meses em 2021, segundo pesquisa realizada pela XP/Ipespe.

 


O império das bugigangas avança
A multinacional do Japão Daiso, conhecida pelas bugigangas que custam pouco, fechará 2020 com 20 unidades abertas no país. A mais recente e ambiciosa, uma megaloja de 700 metros quadrados, foi inaugurada ontem no bairro da Liberdade, reduto da comunidade japonesa em São Paulo. Atualmente, a Daiso possui 82 lojas no país, boa parte delas dentro de redes de supermercados como Pão de Açúcar e Hirota. Segundo a empresa, no ano que vem a expansão continuará em ritmo forte.

 

Rapidinhas

» O Walmart, o maior varejista do mundo, começou a abrir mão das operações físicas para ampliar os investimentos no comércio eletrônico. Recentemente, a empresa se desfez de 85% das ações de uma rede de supermercados no Japão, pouco depois de se livrar das lojas na Argentina. A empresa quer concorrer com a Amazon no e-commerce.

» A capixaba Guidoni, uma das principais produtoras de granitos e mármores do país, irá inaugurar em abril uma fábrica na Geórgia, nos Estados Unidos. A unidade, que recebeu R$ 550 milhões em investimentos, deverá gerar receitas de US$ 50 milhões em seu primeiro ano de operação. A empresa também possui uma fábrica na Itália.

» No mundo da tecnologia, tudo é muito rápido. Fundada em março, a startup Floki Technologies, especializada no uso de inteligência artificial no setor de alimentação, recebeu um aporte de R$ 3,6 milhões de gestoras de venture capital. A empresa já conta com um portfólio de 35 clientes e esperar chegar a 200 em 2021.

» Os organizadores da Paris Air Show, uma das mais tradicionais feiras aeronáuticas do mundo, cancelaram a edição 2021 do evento, programado para junho na capital francesa. Segundo eles, a decisão se deve às “incertezas associadas à covid-19”. A próxima edição está prevista para 2023, no aeroporto de Le Bourget.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE