Produtos voltados para a alta renda crescem na pandemia

Correio Braziliense
postado em 05/04/2022 00:01

O mercado de luxo não apenas passou ileso pela crise do coronavírus como obteve, nos últimos dois anos, alguns dos melhores resultados da história. Em 2021, os lançamentos de imóveis de alto padrão aumentaram 226% em relação a 2020, de acordo com relatório produzido pela Abrainc-Fipe. Não à toa, a JHSF, líder do setor imobiliário focado no público que ocupa o topo da pirâmide, formalizou a compra de 51% de uma área de 5,7 milhões quadrados em Bragança Paulista, no interior de São Paulo. Segundo a empresa, o objetivo é desenvolver projetos residenciais de alto padrão. Não é uma iniciativa qualquer. Estima-se que o Valor Geral de Vendas (VGV), métrica usada para calcular o potencial de receitas de um empreendimento, chegue a R$ 6,1 bilhões. O turismo de luxo também aproveitou o momento favorável. De acordo com o World Travel & Tourism Council (WTTC), o segmento movimentou US$ 2 trilhões em 2022, o dobro de 2019, último ano antes da pandemia.

Sem peças, Mercedes-Benz
dá férias coletivas

A Mercedes-Benz colocará 5 mil trabalhadores da fábrica de São Bernardo do Campo (SP) em férias coletivas, além de paralisar a produção de 18 de abril a 3 maio. O motivo é um velho conhecido: a falta de semicondutores no mercado. A montadora já havia adotado medida semelhante no início de março — e também por problemas na cadeia de abastecimento de peças. Esperava-se que o fornecimento de componentes seria normalizado até o final do ano, mas a guerra na Ucrânia tornou o cenário mais incerto.

Brasil brilha em ranking de energia eólica

As fontes alternativas de energia avançam no Brasil. Segundo relatório divulgado pelo Global Wind Energy Council (GWEC), o país subiu uma posição no ranking mundial de energia eólica onshore (em terra) e já é a sexta nação com mais eólicas, totalizando 21,5 gigawatts (GW) de capacidade instalada. No topo da lista estão China, Estados Unidos, Alemanha, Índia e Espanha. Além disso, o Brasil é o terceiro país que mais instalou usinas desse tipo em 2021, atrás de China e Estados Unidos

Evergrande volta ao jogo, mas ainda deve US$ 300 bilhões

Lembra da Evergrande, a segunda maior empresa do mercado imobiliário chinês e que, em setembro do ano passado, assustou o mundo com a possível falência? É bom nunca apostar contra os chineses. Em março, a empresa reiniciou 95% de seus projetos, devendo entregar ao menos 600 mil novos apartamentos em 2022, algo que parecia improvável quando a crise se instalou. Ainda assim, sua dívida se mantém em níveis estratosféricos: os passivos atuais estão na casa dos US$ 300 bilhões.

81%

dos desempregados há mais de 2 anos são das classes D e E, segundo levantamento da Tendências Consultoria Integrada

Queda definitiva,
só de avião"

Nizan Guanaes,

publicitário e empresário brasileiro

Rapidinhas

» A empresa de tecnologia Totvs comprou, por R$ 40 milhões, a desenvolvedora de softwares de planejamento financeiro Gesplan. Trata-se da primeira aquisição desde que a Totvs captou R$ 1,4 bilhão no follow-on (oferta subsequente de ações) realizado em setembro do ano passado. A Gesplan conta com 3 mil clientes em seu portfólio.


» A RaiaDrogasil, maior rede de farmácias do Brasil, desenhou seu plano de metas para 2022. Segundo a empresa, o objetivo é abrir 260 unidades até dezembro. O número supera o desempenho de 2021, quando 240 endereços foram abertos. O grupo cresce em ritmo acelerado. Desde 2020, mantém a média de 3 mil contratações por ano.


» Elon Musk é um fã inveterado do Twitter e resolveu misturar gostos pessoais com negócios. O dono da Tesla informou às autoridades regulatórias americanas que comprou 9,2% das ações do Twitter, o equivalente a US$ 3 bilhões. Dono de US$ 290 bilhões, Musk caminha para se tornar o primeiro trilionário da história.


» A gigante chinesa de comércio eletrônico AliExpress quer incorporar o "Dia do Solteiro" ao calendário de compras brasileiro. Na China, a data é comemorada em 11 de novembro e se consolidou como um dos principais eventos comerciais do país. Em 2021, o Dia do Solteiro movimentou US$ 640 bilhões em território chinês.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE