Opinião: Aquarela sem cor

''Brasil, o país onde o Mateus branco, rico e oco humilha o Matheus negro, trabalhador e de princípios e valores. Riqueza inatingível a quem se resume a vociferar ódio racista e ideologia ariana em uma terra de iguais. Brasil, o que fizeram de ti?''

Rodrigo Craveiro
postado em 12/08/2020 04:00 / atualizado em 12/08/2020 15:17

Brasil, meu Brasil brasileiro, o que fizeste do mulato inzoneiro? Por que tiraste a mãe preta do cerrado para colocá-la em um mundo de brancos repulsivos e odiosos? Ah, Brasil, terra boa, como a morena sestrosa terá olhar indiscreto ou indiferente à dor de sua gente? Onde está este Brasil lindo e trigueiro? Como eu mato a minha sede nas tuas fontes murmurantes e me embeveço com o teu luar, enquanto tua gente sofre a dor do preconceito? Onde tantos negros têm o destino de cartas marcadas pela pobreza, pelo abandono à margem da sociedade, pelo preconceito escrachado e quase institucionalizado.

Brasil, o país onde o Mateus branco, rico e oco humilha o Matheus negro, trabalhador e de princípios e valores. Riqueza inatingível a quem se resume a vociferar ódio racista e ideologia ariana em uma terra de iguais. Brasil, o que fizeram de ti? Uma nação onde outro Matheus, também de pele morena, foi agredido, humilhado, violentado em sua idoneidade moral e em sua condição de ser humano, por homens, brancos, que se julgam superiores. Apenas porque frequentava um shopping do Rio de Janeiro. Trocava o presente que comprara para o pai. Mas, foi cercado, ameaçado, quase arrastado até a escada da loja por “homens” brancos que se sepultaram em sua insignificância.

Ah, Brasil, por que insistes em abrir a cortina do passado e expor toda a vergonha da senzala? Por que tua gente não percebe que todos somos iguais não apenas ante a Constituição, mas ante a vida? Por que teus policiais matam tantos negros inocentes? Por que o Estado está tão ausente nas favelas, nos bantos modernos, onde a vida é tão dura e absurda? Por que teus braços fartos e teu coração generoso não abraçam e não abrigam tantos esquecidos e ultrajados apenas pela cor da pele? Tua história de escravidão, Brasil...Teu pedaço vergonhoso da história parece ter sido herdado por tantos “homens de bem”, que preferem ver diferença onde não tem. O que faz o Brasil, Brasil?

Teu racismo envergonha, ultraja, agride, destoa desta aquarela de tantas cores em harmonia, viola uma sociedade de tantos iguais. Ao motoboy Matheus, humilhado pelo rico branco de mesmo nome, e ao Matheus que somente queria trocar o relógio, presente do Dia dos Pais, a minha solidariedade. Ao Mateus agressor e a tantos racistas que vagam por aí como zumbis da intolerância, meu desprezo e minha tristeza por tanto vazio na alma. Ainda espero sentir orgulho deste Brasil do meu amor. Que o negro inzoneiro e a morena sestrosa possam sorrir e viver, sem medo, em uma nação que saiba entender que somos todos iguais.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação