Acabou a pandemia?

Adriana Izel
postado em 08/09/2020 08:00

Fotos de praias lotadas. Cliques em cachoeiras. Vídeos de pessoas aglomeradas nas ruas. Tudo isso sem máscara, claro. Esse foi o retrato do feriado prolongado no Brasil que encontrei no meu passeio pelas redes sociais. Tudo isso, também, foi retratado pela mídia. Aqui, no Correio, a editoria de Cidades mostrou que os turistas candangos lotaram as regiões de Alto Paraíso e Pirenópolis. Nas redes sociais, os moradores dos locais compartilharam imagens de trânsito de veículos e até de máscaras caídas nas águas.

A impressão é que, cansados do isolamento social que dura mais de seis meses, os brasileiros decretaram o fim da pandemia. Ou todo mundo foi vacinado e eu, que fiquei em casa, fui deixada de fora da lista. O problema é que a covid-19 não está extinta do país (nem do mundo) e as vacinas, apesar de promissoras, ainda não foram administradas para a população em geral — só quem teve acesso à vacinação até agora são voluntários, normalmente, da área de saúde, que fazem parte de testes. Alguns, inclusive, receberam placebo.

É importante ainda lembrar que o Brasil bateu os quatro milhões de casos diagnosticados de novo coronavírus e ultrapassou o número de 125 mil pessoas mortas pela doença. Pessoas que tinham nome e eram pai, mãe, irmão, irmã, filhou ou filha de alguém.

As notícias mostram queda na média móvel de mortes, o que coloca a situação em estabilidade. Tudo bem, a palavra vem do adjetivo estável, que pode ser considerado firme e seguro, mas, também, tem outro significado, que é o que melhor se encaixa aqui: “que não varia, inalterável, invariável”.

Se não varia, é porque ainda temos casos da covid-19. Ou seja, precisamos permanecer alertas e sermos cuidadosos. Se todo mundo achar que pode dar uma fugidinha para praias e cachoeiras teremos aglomeração. Como aconteceu. O que se faz hoje, em um Brasil pandêmico, o resultado aparece só duas semanas depois. E o que parecia estável pode voltar ao descontrole com o aumento do número de casos. Desse modo, será difícil o país acabar de verdade com a pandemia. Que eu esteja errada.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação