>> Sr. Redator

Cartas ao Sr. Redator devem ter no, máximo, 10 linhas e incluir nome e endereço completo, fotocópia de identidade e telefone para contato. E-mail: sredat.df@dabr.com.br

Correio Braziliense
postado em 22/02/2021 21:16

Daniel Silveira

Cabia à Câmara dos Deputados deliberar, no caso do Daniel Silveira, se o suposto crime por ele cometido era ou não inafiançável, nos termos do artigo 53, parágrafo 2 da Constituição. Apenas isso. Mas a mais medíocre composição da história da Câmara – que sequer sabia o que estava na pauta — preferiu o suicídio. Abriram a Caixa de Pandora. Que aguentem o que virá.
» Milton Cordova Junior,
Vicente Pires

> Aos que pensavam que podiam tudo, meus pêsames! A prisão de Daniel Silveira cala os engraçadinhos do Poder que, sentados confortavelmente em seus gabinetes, gastavam o tempo que deveria ser utilizado trabalhando para o bem do Brasil semeando animosidade entre as instituições. A turminha do “fecha tudo” agora ficará de boca fechada. O Supremo Tribunal Federal deu um chega pra lá. Quanto silêncio! A coisa estava indo de um jeito que até criança de chupeta estava falando: “precisa fechar o STF”. Cadê os engraçadinhos?
» Jeovah Ferreira,
Taquari


Impostos

A renda diminui, mas os impostos aumentam. O Detran-DF não emite mais o DUT e não envia pelos Correios. Agora, o cidadão que se vire para buscar na internet e imprimir. Mas a taxa de licenciamento permanece em caríssimos R$ 79! No mínimo, deveria cobrar metade disso, pois não existe mais manuseio, papel especial e envio pela ECT. Alguns estados com vergonha na cara estão anunciando o corte dessa despesa (cujo valor é bem menor que no DF) e a devolução imediata a quem já pagou. Infelizmente, o Detran só serve para recolher multas e taxas, não presta qualquer serviço à comunidade. Assim como a PM, que tem jornadas privilegiadas e não sai às ruas. Até quando, governador? Ficamos refém da fome de impostos e da total inércia, incompetência e inoperância dos órgãos do GDF.
» Hélio Campos,
Asa Sul


Ética

Acho que está merecendo um belo debate sobre os conflitos conceituais no Brasil. Liberdade individual X comportamento coletivo. Imunidade parlamentar X impunidade de discursos, e defesa das liberdades democráticas X propostas totalitárias. Lembro que é ilegal defender o nazismo e o racismo, então, porque seria legal defender uma ditadura?
» Sylvain Levy,
Asa Norte


Violência

Com o aumento da violência no Distrito Federal, segundo pesquisa divulgada, o GDF diz que tudo está sob controle. É brincadeira este governo!
» Sebastião Machado Aragão,
Asa Sul


Oportunidades

Embora não nutra grande simpatia pelo atual presidente da República, não posso me furtar a reconhecer sua grande capacidade em desorganizar, atrapalhar e confundir toda a nação, embora seus seguidores não reconheçam isso. Na atual situação nacional e mundial, é disso que o Brasil precisa. Como mudar a realidade degenerada com somente boas maneiras? Precisamos todos de nos transformarmos enormemente e, assim, será feito em conformidade com a história humana. Como diz o adágio, de forma incompleta: “Santo de casa não faz milagre”. Mas o diabo de casa faz. Isso vale para o judô, como para toda a vida. Todos os brasileiros devem agradecer a grande oportunidade que nos está sendo dada. Parem de reclamar. Vamos nos unir. A natureza universal acima de tudo e de todos. Crise é oportunidade. Concorda, presidente ?
» Humberto Pellizzaro,
Asa Norte


Nobel brasileiro

Sem dúvida, pertinente, oportuna e válida a lembrança do lançamento do ex-ministro da Agricultura Alysson Paolinelli ao Prêmio Nobel da Paz. O merecimento consistente e de ocasião certa valeria para compensar outros não recebidos, mas lembrados, e merecidos, entre os quais, Celso Furtado, para o Nobel de Economia, Josué de Castro, César Lattes, Oswaldo Cruz, Dom Helder Câmara, entre alguns bem citados no livro Maldito Prêmio Nobel! O Reverso da Medalha, de João Líns de Albuquerque, conforme capítulo 13: Candidatos brasileiros de todos os tempos. Alysson Paolinelli, com o Nobel, compensaria parte de erros e atrasos da Academia sueca, como serviria para lembrar a história de outros indicados e previstos (Jorge Amado, Oswaldo Aranha, Carlos Chagas, Villas-Bôas, Marechal Cândido Rondon).
» José de Jesus Moraes Rêgo,
Asa Norte

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE