» Sr. Redator

Correio Braziliense
postado em 20/03/2022 00:01

Fies

Acredito que seja uma sugestão de pauta falar sobre a renegociação do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies). As pessoas que são inadimplentes conseguem descontos enormes para quitar a dívida, enquanto as pessoas que pagam, regularmente, não conseguem negociar o valor e terão que continuar pagando ainda por mais 10, 20 anos ou até mais. Penso que isso é uma injustiça. As regras deveriam ser reavaliadas e beneficiar também as pessoas que, mesmo com dificuldade, estão conseguindo pagar as prestações em dia, pois o valor não é tão baixo como acham.

Ingrid Melo,

Sudoeste

Doação

Doarei meu um real esquecido no Banco Central para o pobre, raquítico e necessitado Fundo Eleitoral, abençoado pelo Congresso e por Bolsonaro com minguados R$ 4,6 bilhões. Dinheiro do povo sofrido e com 12 milhões de desempregados.

Vicente Limongi Netto,

Lago Norte

Sem ilusão

Não se enganem: a gasolina barata (ou subsidiada) será a mesma paga pelo magnata que tem milhões de reais em suas contas bancárias e pelo indivíduo que não tem uma migalha para comer. É socialmente justo?

Luis Baldez,

Asa Sul

Até quando?

Até quando a sua excelência ministro Alexandre de Moraes tomará decisões monocráticas e seus pares ficarão em absoluto silêncio, como se tudo tivesse na plena legalidade? Isso, sem falar no Congresso Nacional, que, como feitor das leis, nada diz, nada faz. Senhores representantes do povo, é chegado a hora de mudar a Constituição, para que seja encontrada alternativa para impedir que um só ministro tome decisões isoladas, que prejudicam as pessoas e o país. Onde estão os órgãos competentes que possam adotar medidas legais cabíveis, por exemplo, o Conselho Nacional da República. Depois não venhamos chorar o leite derramado.

José Bonifácio,

Cruzeiro

Dilema

A cidade de Autazes fica no interior do estado do Amazonas. Pertence à Mesorregião do Centro Amazonense e microrregião de Manaus, à sudeste de Manaus, capital do estado, distando desta cerca de 113 quilômetros. A cidade ocupa uma área de 7.599,282km² e sua população, estimada pelo IBGE, é de 38 mil habitantes, sendo assim é o 17º município mais populoso do do estado e o quinto de sua microrregião. A cidade ganhou notoriedade e importância diante da guerra entre Rússia e Ucrânia, não pelo conflito em si, mas pelo fato de que o governo brasileiro importa fertilizantes da Rússia e, com o conflito, não está podendo importar, colocando em risco a agricultura. A cidade de Autazes entra na história por ter uma megajazida de potássio, principal insumo para a produção de fertilizantes. Para o governo federal, a exploração seria suficiente para suprir 25% da necessidade brasileira. Durante a ditadura militar, entre os anos de 1964 e 1985, os militares queriam o desenvolvimento da região, o projeto era a estrada Transamazônica, cuja competência e coragem para fazê-la não tiveram à época. Agora, surge Autazes no caminho de um militar que foi expulso do Exército, odeia os povos indígenas e o meio ambiente na mesma medida que ama agronegócios, armas, apoio eleitoral e dinheiro. É bom os defensores do meio ambiente e dos povos indígenas acordarem para a questão antes que seja tarde.

Rafael Moia Filho,

Bauru (SP)

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE