» Sr. Redator

Correio Braziliense
postado em 07/04/2022 00:01

Parabéns!

Hoje, comemora-se o Dia dos Jornalistas. Parabéns a todos os profissionais que fazem da boa comunicação sua pauta diária. Mais do que transformar fatos em notícias, responsável por perpetuar os acontecimentos na história. Sete de abril também é Dia Mundial da Saúde. Agradecemos a todos os profissionais que se dedicam diariamente ao cuidado com o outro.

José R. Pinheiro Filho,

Asa Norte

Futuro

Ouvi, há algum tempo, de um ecologista fanático — alguém que poderíamos chamar de ecoxiita—: "Precisamos acabar com a humanidade para salvarmos a natureza"! É mais ou menos o que prega o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas ( IPCC), da Organização das Nações Unidas (ONU). Vejamos o artigo do Correio (5/4, pág 12): "...o futuro viável passa pelo fim do uso de combustíveis fósseis". Diz que a meta de aumento de 1,5º no aquecimento — conforme acordado em Paris, em 2015 — não será atingida até o fim do século, porque nada tem sido feito até hoje. Querem que o uso do carvão seja extinto até 2050 e que haja uma redução de 60% do uso do petróleo e de 70% no uso do gás! Risível... O que será de nosso aviões, navios etc.? A Europa morreria de frio sem o gás para aquecimento dos lares. Diz ainda que estamos diante de uma encruzilhada. As decisões que tomarmos podem garantir um futuro viável! Traduzindo: os 4ºC a mais previstos para o fim do século farão subir o nível dos mares engolindo todos os Continentes... Não estaremos aqui para testemunhar tamanho absurdo, mas quem estiver poderá consultar os arquivos para dar boas risadas!

José de Mattos Souza,

Lago Sul

BBB22

O paredão falso do BBB22 acabou pegando mal entre os telespectadores. A credibilidade e a isenção do programa vai se derretendo. Amadorismo não cabe em arte. A professora e falante Jessi, ativa participante do jogo, logo também percebeu que havia algo errado no paredão que "eliminou" Arthur. Também já deu na vista a explícita proteção que o apresentador Tadeu Schmidt costuma dar a Arthur. Ficou no ar o gostinho de goiabada na reta final do jogo. Pena.

Vicente Limongi Netto,

Lago Norte

Recuperação

Dizer que o Brasil já deveria estar experimentando uma recuperação econômica mais rápida e mais vigorosa, diante da redução da crise sanitária, não é nenhuma novidade. Alguns dos motivos pelos quais os resultados teimam em demorar é pelo caminho das incertezas. O principal deles é que estamos num ano eleitoral, bem como, o país saindo, paulatinamente, da crise sanitária, e que vivemos não uma mera transformação de matriz: da economia majoritariamente empurrada pelo Estado, à custa de impostos e endividamento, para outra puxada pelo setor privado, cujo motor é composto de inovação e de empreendedorismo, traduzido tanto por trabalho quanto pela confiança de investir. Não é um caminho fácil. Após anos abduzidos por políticas cujo traço comum é a ilusão de que o Estado é capaz de criar riqueza por decreto e distribuí-la por normas, é preciso dar tempo às reformas que melhoram as condições de investimento privado. Um pouco de sorte também não faria mal: um clima internacional mais propício, menos desastres ambientais e menos bravatas de autoridades, menos ameaças de paralização e, sobretudo, menos incerteza jurídica. Por tudo isso, o otimismo dos primeiros meses de 2022 converteu-se em ansiedade. E, no entanto, parafraseando Galileu, o Brasil se move.

Renato Mendes Prestes,

Águas Claras

Os circunstantes

O colunista Alexandre Garcia, ex-heroi das revistas Playboy e Ele&Ela, comentou na edição desta quarta-feira (6/4) que os juízes, que antes atravessavam os ambientes do Congresso "sob o olhar respeitoso dos circunstantes", agora só saíam de lá — se referindo aos ministros do Supremo — "com segurança reforçada". Seja honesto, Alexandre, quem mudou não foram os ministros e, sim, os circunstantes!

Lauro A. C. Pinheiro,

Asa Sul

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE