» Sr. Redator

Correio Braziliense
postado em 18/04/2022 00:01

Brasília

A propósito da presença do Correio na construção e inauguração da nova capital, é bom lembrar que o jornalista José Leão Filho, movido pelos Diários Associados, veio do Rio de Janeiro cobrir a festa e aqui ficou, encantado com o trabalho em uma nova e moderna cidade. A família veio do Rio para participar do sonho do Leão, que passou a reforçar o quadro do Correio.

A.C. Scartezini,

Lago Sul

Brasília inventou o encanto / transformou em anjos/os regaços dos eixos /em pétalas de esperanças / o ferro e o cimento das construções / o verde acolheu o escurecer dos viadutos / concretos brincam com a brisa / são parceiros do pôr do sol / o cerrado encanta o planeta / pioneiros energizam o amanhecer / o aroma das árvores frutíferas / lança sementes para o céu / moldando, pintando / eternizando a capital / para os deuses do amor.

Vicente Limongi Netto,

Lago Norte

O que você vai ser?...

A capa do Correio deste domingo, 17/04, sobre "O que você vai ser quando você crescer?", me trouxe à baila duas respostas pra lá de interessantes que eu tive a sorte e a oportunidade de ouvir, de umas crianças próximas de mim, respondendo a essa indagação. A primeira veio de um menino, apelidado Didi, cuja família frequentava, junto com a minha, um clube de oficiais da Marinha em Salvador, numa época em que eu morava lá. Nesses tempos, rolava entre eles a história, exaltada à exaustão, com laivos de grande importância, indignação e revolta, de um padre desonesto — com o adjetivo que aplicavam a ele — que havia desaparecido com algum dinheiro deles, pago para celebrar um batizado, que nunca chegou a acontecer. Pois indagado sobre "o que queria ser, quando crescesse", Didi não vacilou: "Eu quero ser padre ladrão!". Já o outro supremo privilégio que me tocou veio da minha neta, Chloe, com 5 anos, uma artista precoce que produz telas expressivas com guache, giz em gel e outras "técnicas". Perguntada sobre isso ela respondeu, surpreendente e emocionantemente, sem titubear — "Quando eu crescer, eu não quero ser médica, advogada, engenheira, nem nada. Eu quero ser mãe!".

Lauro A. C. Pinheiro,

Asa Sul

Entrevista

Excelente a entrevista da Economista Zeina Latif no CB de 17/4/22. No entanto, chama-se atenção para sua convicção de que "lugar de militares é no quartel, não no governo". Ora, em sendo isso uma verdade, poderíamos supor outras do tipo: "lugar de médico é nos hospitais, não em ministérios?"; "lugar de professores seria em salas de aula, não em cargos políticos?" Enfim: "lugar de ladrão não seria na cadeia?"

Não me parece razoável "trancar" as pessoas em caixinhas e não aceitar que os humanos podem vencer obstáculos e evoluir ainda mais como "ser pensante".

Nelson Rodrigues de Oliveira,

Sobradinho - DF

Longevidade

"Melhor prevenir do que remediar". Passei boa parte da minha infância ouvindo, de meus avós e pais, esse bordão. A matéria 'Um escudo para o cérebro' (14/04, p.12) ilustrou a descoberta de novos mecanismos, por cientistas americanos e britânicos, que explicam como a prática de atividades físicas, além de outros hábitos saudáveis, aumentam a longevidade, proporcionando maior qualidade de vida.

Depreende-se, da leitura do texto, que fatores tais como a redução do Índice de Massa Corporal (IMC), bem como a manutenção de um metabolismo de açúcares equilibrado, são fundamentais para esse processo.

Diante dos argumentos elencados, reforço o convite para que @s prestigiad@s leitores(as) do CB venham participar, todas as quartas-feiras (exceto feriados), a partir das 19h, dos encontros presenciais do movimento Amigos do Time Kobra, no Parque da Cidade D. Sarah Kubitschek.

Aguardarei os interessados em frente ao relógio da pista de corrida, logo ao lado das quadras de futevôlei, com um cordial abraço e muita disposição, para juntos praticarmos saúde e bem-estar!

Nelio 'Kobra' Machado Amigos do Time Kobra

Brasília - DF

Tags

CONTINUE LENDO SOBRE